30 de jul de 2016

[Divulgação] Peter, a história de um garoto órfão

Aventura infantil, da capixaba Elaine Bastos, ensina as crianças sobre a importância de superar desafios e conquistar os objetivos
Em As Aventuras de Peter no Reino do Mago Magmum, a autora capixaba Elaine Bastos Mayworm traz para o público infantil uma narrativa sobre liberdade interior e coragem para se descobrir. Com desenhos da ilustradora Ana Branco, o título discute muitas questões com todos os leitores, como: a importância de investigar o que os instiga, de compreender a inquietação que move toda criança a conhecer a si mesma e o mundo.
Apaixonada por histórias, Elaine dedica seu tempo para encantar jovens e crianças através das aventuras que escreve, sempre cercadas de magia e muita emoção. Abordando temas tão controversos na atualidade, As Aventuras de Peter no Reino do Mago Magmum revela importantes lições para os pequenos.
Na história, Peter é um garoto órfão, que vive em uma cidade chamada Sem Sorriso. A vida dele costumava ser monótona, até o dia que encontra uma concha mágica que lhe disse um segredo surpreendente – o misterioso unicórnio branco desejava ser livre, e Peter era o único que poderia ajuda-lo. Com isso, o personagem parte em uma aventura pela floresta encantada para cumprir essa missão. Ele só não contava que o terrível mago da noite, o Mago Magmum, iria tentar atrapalhar os seus planos.
“– Mas – balbucia Peter – onde posso encontrar o unicórnio? – Contudo, ao pronunciar estas palavras, quase não consegue ouvir o restante da canção“... O terrível Mago da Noite, o Mago Magmum, dentro da Floresta Encantada...”
 Determinado a seguir o sonho de libertar o animal, Peter está disposto a enfrentar todos os desafios que aparecem no caminho. O enredo destaca a importância da autodescoberta e da coragem para enfrentar situações novas, temas essenciais para a juventude. Com essa narrativa, a autora cria um ótimo exemplo para todos os jovens e crianças. Afinal, para eles todos os dias é uma grande descoberta.
Sobre a autora:
Elaine Bastos Mayworm  escreve histórias para jovens e crianças e já publicou o livro O Segredo da Harpa Dourada, que também leva os pequenos a descobertas incríveis e os transporta para o universo dos verdadeiros contos de fada.
Elaine nasceu em Colatina, no Espírito Santo, cresceu no Rio de Janeiro e hoje mora em Ubatuba, em São Paulo. Sobre sua história ela revela: “Tenho dois netos maravilhosos: Lara e Pedro. Adoram histórias! Mas é assim mesmo, quem é que não gosta?".
 Ficha técnica:
As Aventuras de Peter no Reino do Mago MagmumTamanho: 21x25cm
ISBN: 978-85-8442-138-1
Páginas: 48
Preço: R$ 27,90

[Divulgação] Isa Colli lança livro infantil na Europa

O Pirulito das Abelhas, o mais novo livro infantil de Isa Colli, já chegou ao Brasil.


Isa Colli é ítalo-brasileira natural de Presidente Kennedy – ES e atualmente mora na Bélgica. Mas antes de se mudar do Brasil, morou em Cachoeiro de Itapemirim, Rio de Janeiro e Brasília, atitudes típicas de seu temperamento irrequieto e contestador. A autora decidiu acreditar na incerta carreira de operária da escrita quando, aos 34 anos, foi acometida por uma grave doença e pensou que a sua vida seria abreviada. 

Com 21 livros escritos e 8 publicados até o momento, Isa pode ser classificada como uma mulher forte e temperamental, cuja paixão pela perfeição contribui para explorar sua curiosidade, traço fundamental de sua personalidade. A Chiado iniciou o trabalho com a autora lançando o “O Pirulito das Abelhas” em abril de 2016 na 86° Feira do Livro de Lisboa, mas outros lançamentos estão a caminho até o final de 2016.
A Chiado está em fase de distribuição de O Pirulito das Abelhas para Portugal, Brasil, Angola, Espanha, Alemanha, França, Bélgica, Luxemburgo, EUA, Irlanda, Reino, Itália, tanto no formato e-book ou impresso, nos seus respectivos idiomas e em português. Também pode ser encontrado nas livrarias da Chiado Editora, que se compromete enviar para todo o mundo no prazo de 45 dias. No Brasil o título está disponível na FNAC, Saraiva, Argumento, Livraria Saturno, Travessa, Galileu, Livraria Curitiba, Livraria Cultura, Só Livros, Erdos e outras. https://www.chiadoeditora.com/distribuicao

29 de jul de 2016

Vamos conversar? #valorizeobooktube

Bom dia, caçadores!
Tudo bem com vocês?
Desde semana retrasada estou acompanhando a #valorizeobooktube .
Vocês já leram ou assistiram algo sobre o movimento?
Caso não tenham, tem um vídeo sensacional da Nay. Vou deixar aqui para vocês olharem:


Muitos já falaram de forma coerente, outros se perderam sobre o conteúdo do movimento, enfim, há uma miscelânea de vídeos/opiniões sobre o tema. 

Não irei gravar vídeo, pois o vídeo da Nay já aborda todos os tópicos que iria detalhar, mas fiquei com o interesse de escrever aqui no blog, para saber a opinião de vocês.

Percebo que todos os blogs da minha época (2010/2011), cresceram e mudaram o jeito de ver o meio literário: uns criaram suas empresas, outros são consultores, eu sou mediadora literária, enfim, por aí vai. O campo é limitado, é, mas se você não sabe valorizar o seu trabalho, não conte com o outro para fazer isso.

Como criadores de conteúdo, blogueiros, vlogueiros, youtubers, etc que lidam com conteúdo literário, precisam abrir o seu espaço. É recompensador? É, mas ao mesmo tempo não é algo fácil, por ser um setor novo.

O que é o movimento?
O movimento busca a valorização de todos que trabalham com o meio literário, tentando mudar a forma que as parcerias são veiculadas e até mesmo para que as empresas olhem o meio literário como o meio da moda (setor super valorizado), por exemplo.

O problema da amplitude do movimento é retratado quando:
1- Nem todo mundo tem consciência do que faz (entrou no meio para tentar ganhar livro e só). 
2- Pessoas entram em parcerias sem saber o que esperar;
3- Há quem fale mal do coleguinha para tentar se dar bem (se você pensa que a comunidade é unida, deixe eu quebrar os seus sonhos, não é. Você tem que conhecer as pessoas e saber com quem pode contar e com quem não);
4- O mundo de resenhas/entrevistas/matérias/layout e mascote de blogs plagiados é algo que não tem fim;
5- O #mimimi que tem quando alguns blogs estão na lista de parceria de uma editora e outros não. Aqui vou deixar claro que nem todas as seleções são justas, mas se você entrou no meio com o objetivo de fazer o seu conteúdo, você não vai depender só de parceria para continuar o seu desenvolvimento. 
6- Vilanizar editoras/parcerias, quando na verdade são feitas seleções para as parcerias, isso significa dizer que você pode aceitar participar ou não. Se você participou e quando chegar lá na frente, percebeu que a parceria não era nada do que esperava, basta cancelar. Eu já cancelei parcerias por isso, não uma, mais várias vezes. Graças a Deus as que tenho hoje são parcerias do meu coração, que respeitam o meu trabalho e a audiência de vocês.

27 de jul de 2016

Os bons segredos (Sarah Dessen) @dearbook @editoraseguinte


Boa noite, caçadores!
Desculpe a ausência.

A vida anda bem corrida por aqui, mas já já estarei de férias e teremos algumas novidades por aqui.
A resenha de hoje é de uma escritora conhecida por mim antes do "bum" de sucesso aqui no Brasil.
Conheci Sarah com a leitura do livro "o que aconteceu com o Adeus" e desde então fiquei tocada com a sensibilidade dela.

Agradeço a Kleris, colunista do Dear Book, que indicou o CDL para a resenha desse livro, que posso dizer que é tocante.

Acredito que sempre que uma família possui problemas internos, ela não consegue recepcionar bem seus integrantes e é esse um dos temas centrais do livro. Quando todos são voltados para um integrante e este some, o que fazer? Como agir? Quem vai preencher aquele espaço? E a pessoa que foi elencada para preencher o espaço vazio, vai aceitar simplesmente ser a 2ª opção?

A família de Sydney é muito complicada. Ela, uma jovem bonita, inteligente, sagaz e responsável é deixada de lado pelos pais, que só observam o filho (irmão) Peyton. Um erro comum entre as famílias, porém algo extremamente errado, já que os pais NUNCA podem externar a suas preferências entre os filhos.

26 de jul de 2016

Quando finalmente voltará a ser como nunca foi (Joachim Meyerhoff) @EdValentina

Autor: Joachim Meyerhoff
Editora: Valentina
Páginas: 352
Ano: 2016
Média do Skoob: 4.4
Média do Blog: 4 lupinhas

Compare e Compre

Joachim nos é apresentado aos 7 anos narrando um fato sobre sua vida, o que me lembrou muito o início do filme Conta comigo (1986). No primeiro parágrafo do primeiro capítulo já sabemos o que acontecerá no decorrer da história, vemos a vida de sua família sendo rebobinado como um filme antigo.    

Joachim morava nas dependências de um Hospital Psiquiátrico, seu pai fora o psiquiatra e logo se tornará o diretor da instituição, dividia a casa com seus dois irmãos mais velhos, seus pais e sua cadela. 

"Assim eu cresci. Em meio a 1.500 doentes psíquicos, além de deficientes físicos e mentais. Meus irmãos e eu dávamos aos pacientes os mais diferentes nomes. Sem a menor consideração, nós os chamávamos de idiotas, loucos ou doidos."

Cada capítulo era um momento da vida narrado pelo olhar de uma criança, na escola, no hospital com os internos, de como eles se comportavam durante o dia e a noite. Joachim gostava da noite e de como os gritos dos internos embalavam seu sono. Muitos episódios aconteceram durante a festa de 40 anos do patriarca da família, de suas resoluções de aniversário de parar de fumar, emagrecer e se exercitar mais.

Os anos transcorreram, as crianças já não eram mais crianças os infortúnios iam batendo na porta, as fatalidades golpeavam a existência, os segredos já não estavam mais embaixo do tapete e o que se esperava para o final era somente as saudades daquilo que realmente foi.

"Cada vez mais tenho a impressão de que o passado é um lugar ainda mais inseguro e instável que o futuro. O que deixei para trás não devia ser algo seguro, concluído, que já fora e só esperava para ser narrado, e o que tenho pela frente não deve ser o chamado futuro a ser moldado?"

Diagramação perfeita. Com uma narrativa fluida, uma verdadeira experiência familiar, com um lar totalmente exótico, com vizinhos um tanto perturbados, não poderia ter outro resultado a num ser uma tragicomédia da vida privada, muitas passagens você se pega rindo, em outras refletindo sobre vários casos dos internos e da própria família de Joachim.

Até a próxima!



[Divulgação] Peter, a história de um garoto órfão - Lançamento hoje na Saraiva Botafogo Praia Shopping

Em As Aventuras de Peter no Reino do Mago Magmum, a autora capixaba Elaine Bastos Mayworm traz para o público infantil uma narrativa sobre liberdade interior e coragem para se descobrir. Com desenhos da ilustradora Ana Branco, o título discute muitas questões com todos os leitores, como: a importância de investigar o que os instiga, de compreender a inquietação que move toda criança a conhecer a si mesma e o mundo.
 Apaixonada por histórias, Elaine dedica seu tempo para encantar jovens e crianças através das aventuras que escreve, sempre cercadas de magia e muita emoção. Abordando temas tão controversos na atualidade, As Aventuras de Peter no Reino do Mago Magmum revela importantes lições para os pequenos.

 Na história, Peter é um garoto órfão, que vive em uma cidade chamada Sem Sorriso. A vida dele costumava ser monótona, até o dia que encontra uma concha mágica que lhe disse um segredo surpreendente – o misterioso unicórnio branco desejava ser livre, e Peter era o único que poderia ajuda-lo. Com isso, o personagem parte em uma aventura pela floresta encantada para cumprir essa missão. Ele só não contava que o terrível mago da noite, o Mago Magmum, iria tentar atrapalhar os seus planos.

 “– Mas – balbucia Peter – onde posso encontrar o unicórnio? – Contudo, ao pronunciar estas palavras, quase não consegue ouvir o restante da canção“... O terrível Mago da Noite, o Mago Magmum, dentro da Floresta Encantada...”

 Determinado a seguir o sonho de libertar o animal, Peter está disposto a enfrentar todos os desafios que aparecem no caminho. O enredo destaca a importância da autodescoberta e da coragem para enfrentar situações novas, temas essenciais para a juventude. Com essa narrativa, a autora cria um ótimo exemplo para todos os jovens e crianças. Afinal, para eles todos os dias é uma grande descoberta.

Sobre a autora:
Elaine Bastos Mayworm  escreve histórias para jovens e crianças e já publicou o livro O Segredo da Harpa Dourada, que também leva os pequenos a descobertas incríveis e os transporta para o universo dos verdadeiros contos de fada.
Elaine nasceu em Colatina, no Espírito Santo, cresceu no Rio de Janeiro e hoje mora em Ubatuba, em São Paulo. Sobre sua história ela revela: “Tenho dois netos maravilhosos: Lara e Pedro. Adoram histórias! Mas é assim mesmo, quem é que não gosta?".

24 de jul de 2016

[Divulgação] Mamãe, bota pra quebrar!

A mamãe é rock é um livro para as mães perfeitas, aqueles seres amorosos que nunca gritam, que fazem bolinhos sem glúten para as crianças, arrumam os brinquedos e nunca pulam o banho das filhas.  Esqueça tudo isso. A mamãe é rock é um livro sobre mães de verdade, que vivem todo dia na corda bamba. Foi pensando em situações verdadeiras, mas sem perder o senso de humor, que a jornalista Ana Cardoso deu vida a um livro de crônicas que toca do início ao fim o ritmo que só as mulheres com filhos entendem. A Mamãe é rock chega dia 1º de julho nas livrarias pela editora Belas-Letras.
Não, o livro não trata de gostos musicais, mas mostra esse lado – como a própria autora escreve – “in/tenso” que é a maternidade. Não é um livro de lamentações. Muito pelo contrário: traz histórias sobre os malabarismos que um casal jovem e moderno precisa fazer para criar os filhos.
A autora divide as verdades sobre  ser mãe de duas meninas em tempos de empoderamento feminino. Sendo assim, nada mais justo que criá-las para reconhecer a força que possuem como mulheres e “botar para quebrar” quando devem. E também ensiná-las a reconhecer que as famílias estão mudando.
“Em 2015, quando meu marido lançou o livro O papai é pop e foi convidado para ir ao Rio, no programa da Fátima Ber­nardes com a família, fiquei em Porto Alegre trabalhando e a Anita roubou a cena. Sem se preocupar muito com o linguajar, nem com o que o público costuma ouvir da boca das crianças, ela soltou o verbo: “Eu acho uma porcaria machista essa história de meni­na ter que andar de rosa e menino de azul”. E ainda emendou numa campanha por fraldários em banheiros masculinos.[...] Anita virou meme.” (p. 03)
Ana é, em alguns momentos, sarcástica com as regras impostas pela sociedade – claramente não adequadas para a correria do dia a dia de qualquer mãe. Em outros, divide ótimas dicas.
A família pop rock tenta mostrar que todo esforço vale a pena para criar os filhos. Ao mesmo tempo, Marcos Piangers lançaO papai é pop 2 com novas histórias sobre Anita e Aurora. Difícil não se identificar. 
SOBRE A AUTORA Ana Cardoso é jornalista e nasceu em Curitiba em 1977. Mudou-se para Florianópolis em 1999, onde trabalhou com esportes radicais na Rádio Atlântida por seis anos, pesquisou rádios e assentamentos do MST e concluiu um mestrado em Sociologia Política. Aos 26 virou feminista, aos 27 casou com o também jornalista Marcos Piangers, aos 28 teve sua primeira filha, Anita. A segunda, Aurora, nasceu sete anos depois. Vive em Porto Alegre desde 2006, envolvida até o último fio de cabelo com pesquisas sociológicas, grupos feministas e a família.

23 de jul de 2016

[Divulgação] Baronesa de Owen: bela, (nem um pouco) recatada e do lar

Romance de época O Despertar do Lírio transforma uma viúva ingênua em uma mulher fascinante e sedutora - assim como a flor que o nomeia
A romântica autora Babi A. Sette irá fazer os leitores suspirarem mais uma vez com a sequência da série de sucesso Flores da TemporadaO Despertar do Lírio, publicado pela Editora Novo Século, é um título independente do primeiro volume. A obra carrega um clima intrigante e sedutor, sendo que a narrativa se passa durante a Era Vitoriana na Inglaterra.
No livro, Lilian Radcliffe é uma jovem viúva conhecida por ter uma moral inabalável. Ela jurou fidelidade ao marido em seu leito de morte, e passou a viver isenta de emoções. Porém, não contava com o dia o qual Simon Thorn, um dos homens mais temidos de Londres, cruzaria seu caminho.
“Sou uma dama educada e não demonstro emoções. Lilian tentou se lembrar disso quando as pernas fraquejaram ao cair dentro do par de olhos mais azuis que já vira. E eles pertenciam ao barão assassino.” 
O barão, por outro lado, estimava encontra-la. Ele carregava nas costas o peso da fama de assassino por culpa de Rafael Radcliffe, o falecido esposo de Lilian. Movido por um desejo de vingança, Simon estava disposto a atingir de uma vez por todas seu maior inimigo. Mesmo que pra isso precisasse usar a viúva recatada e sem graça para conquistar seus objetivos 
Lilian sempre foi uma moça ingênua e conformada com a rotina pacata. Ela tinha a necessidade em manter sua reputação intacta, o que passou a ser tarefa árdua após conhecer Simon. Ele lhe fazia sentir coisas que ela, até então, não sabia que existiam. E como a simbologia por trás do lírio, ela revela-se uma mulher cheia de paixão e erotismo. Entretanto ele, conhecido por ter um coração de pedra, envolveu-se inesperadamente pelo perfume de flores e o sorriso encantador da jovem. 
“Simon era misterioso e profundo. Profundo, como o azul de seus olhos quando escureciam por…desejo? Ele a desejava. Ela estava certa disso.” 
Após muita resistência, o casal apaixonado se deixou levar por uma história eletrizante. A vingança e a honra já não importavam mais. O Despertar do Lírio possui todo o charme do século XIX, com direito a bailes, vestidos lindos, carruagens e castelos. Um clima perfeito, e que combina muito bem com o intenso amor vivido por Lilian e Simon. A obra, além de emocionante, é sensual e envolvente, para fazer o leitor vibrar a cada página e esperar ansioso para o próximo volume da série, intitulado Não me esqueças
 Sobre a autora: 
BABI A. SETTE começou a escrever romances há três anos e não parou mais. Seu livro de estreia, Entre amor e o silêncio, publicado pelo Grupo Novo Século, teve a primeira edição esgotada em poucos meses. Em seguida, lançou A promessa da rosa, seu primeiro romance de época, da série “Flores da temporada”. Formada em Comunicação Social, sente-se metade psicóloga; e outra socióloga. Ama viajar, conhecer pessoas e descobrir lugares. Apaixonada por romances de época, jura que viveria feliz também no século 19. Atualmente, mora em São Paulo com o marido, a filha, um cachorro, um gato e seus personagens.

22 de jul de 2016

[Divulgação] Você conhece o Rafe? @editoraarqueiro

18 de jul de 2016

@Bubarim em São Luís


Povo do meu Brasil, aconteceu nesse sábado (16), o II Planeta de Leitores.


Se você ainda não sabe o que é o planeta de leitores, por favor, leia a postagem aqui no blog ou no site do Clube do Livro Maranhão.


Mas, se você já é de casa, veja o pocket vídeo do evento e as fotos lindas e maravilhosas que foram feitas por Emy e João.

 

12 de jul de 2016

A viagem do descobrimento (Eduardo Bueno) Coleção Brasilis vol. 1 - @EstaçãoBrasil

Autor: Eduardo Bueno
Editora: Estação Brasil
Páginas: 128
Ano: 2016
Média do Skoob: 3.9
Média do Blog: 4 lupinhas

Compare e Compre

A Coleção Brasilis tornou-se um dos maiores fenômenos editoriais do país entre o final da década de 1990 e início dos anos 2000, agora é relançada pela Estação Brasil. 

Como o próprio subtítulo diz é Um olhar sobre a expedição de Cabral, tudo o que você sempre quis saber e nunca soube a quem perguntar e nem em que livro ler, aqui você ficará conhecendo um pouco sobre o que aconteceu da saída até a chegada ao destino final, o Brasil.

O livro é dividido em três partes, a primeira denominada - De Lisboa a Vera Cruz, nos é apresentada a frota de Cabral, sua tripulação, o convívio diário da mesma, uma descrição da árvore genealógica de Cabral e mais.

Cabral se lança ao mar com destino à Índia, mas de fato o percurso e o destino final foi outro, com uma frota de 13 embarcações, sendo dela 10 naus (uma espécie de evolução das caravelas) e 3 caravelas.

A tripulação contava com o próprio Cabral, sua guarda pessoal e cerca de 80 marinheiros, 70 soldados e mais 33 outros passageiros, dentre eles alguns Padres. Retratando o dia-a-dia da tripulação como era monótona e regrada por parte dos Padres que proibiam qualquer lazer dos tripulantes. Além disso tinham a preocupação de se contraí o escorbuto uma doença provocada pela carência de vitamina C.

A comida por sua vez era rigorosamente distribuída por igual, carne, cebola, vinagre, azeite e biscoito. No período da semana Santa eles faziam o jejum da Sexta-Feira Santa de não comer carne, assim o peixe era o ingrediente principal da ração.

"A base da alimentação a bordo era um biscoito duro e salgado 'via de regra todo podre das baratas e com bolor mui fedorento'. Cada tripulante tinha direito a 400 gramas diários. Tais biscoitos, cuja fabricação se confunde com a própria história da navegação, eram assados em fornos reais, como o do vale de Zebro, em Lisboa, onde, entre 1505 e 1507, se produziam mais de mil toneladas (o equivalente a 2,5 milhões de rações diárias)."  

A segunda parte intitulada - Portugal  conquista o mundo, conhecemos um pouco da história do processo de expansão, as conquistas e a própria viagem de Vasco da Gama à Índia, que foi o pontapé inicial para a do próprio Cabral.

A terceira parte  - A semana de Vera Cruz, trás a semana que a tripulação chegou ao Brasil. Na manhã do dia 23 de Abril de 1500, acontecia o primeiro escambo de objetos dos Portugueses com os nativos. Posteriormente, no dia 26 de Abril foi celebrada a primeira missa em terras brasileiras.

"Enquanto os portugueses escutavam a missa, 'com muito prazer e devoção', a praia encheu-se de nativos. Eles sentaram-se, lá surpresos com as complexidades do ritual, que observavam de longe. Quando D. Henrique acabou a pregação, os indígenas se ergueram e começaram a soprar conchas e buzinas, 'saltando e dançando por um bom tempo." 

A narrativa do autor é simples e concisa, a diagramação está exemplar, com seus links de notas flutuantes em fonte menor, fazendo menção a uma explicação sobre algo no texto que carece um entendimento maior. Possui várias figuras auto explicativas em algumas páginas no decorrer da leitura, quando não aparece você fica esperando que elas surjam do nada só para complementar a história.

Escrever um livro que trata da história é ao meu ver um exercício árduo, várias pesquisas devem ser feitas para se ter um embasamento teórico. Quando se ler os detalhes aqui na história, vem sempre aquela indagação. Como alguém soube disso? De fato tudo que foi escrito naquela época e vivido foi perpetuado pelos séculos, muito do que aconteceu foi relatado na carta de Pero Vaz de Caminha ao próprio rei.


Até a próxima!






11 de jul de 2016

Tour da Caçadora: cobertura de eventos literários

Boa noite, caçadores!
Já faz um tempinho que não escrevo aqui, mas no canal do youtube toda semana tem vídeo, por isso, se você quer saber sobre as agitações literárias em São Luís do Maranhão, basta acessar o canal todo domingo a partir das 12h.

Sábado passado (09/07)  teve lançamento da editora percurso na Livraria Tempo de ler e lógico que conversei com a Dorinha e com o Natinho, Confira agora como foi:



Já no sábado anterior (02/07) teve a reinauguração da Tempo de Ler e lançamento dos produtos do Dose de quinta e você confere nesse vídeo o que rolou:


E no sábado (25/06) teve o dia da toalha. O evento foi super divertido e você pode conferir o que rolou, aqui:

Por hoje é só!
Espero que tenham gostado e aguardo os comentários!
Até a próxima!
Caçadora de Livros. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design