4 de out de 2015

Mathilda Savitch (Victor Lobato) @Intrínseca

Bom tarde caçadores!

Sabe aquele ditado que não devemos julgar o livro pela capa? Pois é, foi o o que aconteceu com o romance de Victor Lobato:

Editora Intrínseca
312 páginas
Ano: 2009
Skoob
Classificação no Skoob: 3.5
Compare e Compre
Classificação do Blog: 2

Mathilda Savitch é uma pré-adolescente que após um ano de falecimento de sua irmã mais velha por motivos que aparentemente revelam ser suicídio, para Mathilda revelam ser mais que isso, um homicídio. 

Mas para a garota não vai ser nada fácil,  afinal, além de estar passando por um período hormonal bastante agitado, ainda tem que lidar com sua família que está de luto profundo pela filha, mesmo após um ano, e com ataques terroristas acontecendo pelo país, eles mais se afundam pela morte de outras pessoas.

Mathilda passa a enfrentar uma briga interna e ao mesmo tempo tentar entender a morte da Helene. Para tanto,  procura pistas através de seu e-mails, cartas e namorado misterioso deixados pela irmã, ao mesmo tempo que tenta ajudar seus pais a despertarem do luto, nem que para isso, faça maldades.

***

Para ser sincera, foi um livro que não me causou nada, juro que tentei gostar da história, mas me senti tão estranha e perdida quanto a protagonista.


A princípio achei interessante o fato da Mathilda mostrar aos poucos suas conturbações de pré-adolescente, sua amizade estranha com Anna e Kevin, apresentando seus jeitos e sua família que ainda estava de luto pela irmã, revelando uma família cheia de problemas como qualquer outra mas que demorava a superar a morte, seja da filha, seja de qualquer pessoa.

Quando pensei que ela seria aquela garota rebelde que iria investigar a morte de sua irmã, acaba se revelando só uma garota rebelde que não aceitava a morte de sua irmã assim como sua família, e fazia pequenas maldades para chamar a atenção dela.

Eu esperei que acontecesse algo, mas ficou maçante depois da primeira parte, e apesar que tive esperanças que algo surpreendesse, isso não aconteceu. Mathilda de fato descobriu o que levou a morte de sua querida irmã, mas não definiu soluções exatas para seus problemas, o que deixou pontas soltas e partes sem entender coisa alguma.

Eu gostei de Mathilda, sério, porque é uma garota sem medo, mesmo para sua idade, e arriscava qualquer coisa para chamar atenção da sua família, de seus amigos, mesmo com as maldades e mentiras e sei que pode ser uma história que toca a ferida para muitos, (o que não foi o meu caso) e acredito que poderia ter tocasse sim, porque cada um vive problemas diversos e as vezes uma cena simples em uma história como esta pode ter gerado choro... ou risos.



Sim, a capa me agradou muito e foi um dos motivos para criar expectativas legais, não vou dizer que me decepcionou, só não me causou. então poderia dizer que é relevante e pode gerar conflitos para o leitor, um pode gostar, outro não, dependendo da reflexão que tirará para si. A leitura só não ficou tão maçante porque a diagramação é ótima, e o livro é leve, só a história que me fez demorar a terminar. Por tudo digo que é uma caçada iniciante, duas lupinhas.

Até a próxima! ;)













Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar, Caçador(a)!
Volte Sempre!

Para postar links nos comentários, utilize o espaço correto:
1- Clique em Comentar Como:
2- Selecione a opção Nome/Url
3- Em nome, coloque o seu nome ou nick das redes sociais.
4 - Em Url, coloque o link do seu blog ou página das redes sociais.

Pronto, assim você comenta e ainda coloca os seus dados, sem fazer spam.

Para dúvidas, sugestões ou solicitação de informações, encaminhe email para: c.delivros@gmail.com

Caçadora de Livros. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design