13 de set de 2015

Colega de Quarto (Victor Bonini) @FaroEditorial

Boa noite caçadores!

"Cara, sabe quando você está sozinho em casa no meio da madrugada e ouve a geladeira estalar? Ou um barulho de passos na cozinha, tipo em um filme de terror? E pode jurar que..." 

Parece um acontecido sobrenatural, mas não é exatamente assim que se passa nesta história.

Editora: Faro Editorial
Ano: 2015
Páginas: 280
Skoob
Classificação no Skoob: 4.9
Compare e Compre
Classificação do Blog: 5 lupinhas

Colega de Quarto é um romance policial escrito pelo autor brasileiro Victor Bonini. Atualmente, além do seu trabalho recente como escritor, Bonini é também repórter de vídeo da TV Gazeta.

Eric é um jovem carioca estudante de Direito que mora em um bairro nobre em Higienópolis, São Paulo. Ao voltar  de uma festa à meia-noite, ao adentar seu apartamento, percebe a TV da sala  ligada, assim como a cama do quarto de hóspedes desfeita, o que o deixou bastante nervoso e alerta à ponto da fixação em limpeza no qual não tinha. Com isso limpou a bagunça da cozinha e levou o saco de lixo para a lixeira no corredor comprido do seu andar, deixando a porta do apartamento entreaberto. 

Mas ao virar para voltar, estacou: viu uma silhueta de um homem entrando no seu apartamento! Motivo suficiente para sair correndo dali e buscar por ajuda.

Enquanto isso, Conrado Bardelli estava trabalhando até tarde da noite com papeladas de divórcio de seus clientes, parte de processos que ele, como advogado, não gostava. Enquanto Bardelli, conhecido como Lyra, mexia com os papéis emburrado, o interfone da sala de visitas tocou, era o porteiro informando que um rapaz vinha à sua procura. Apesar da estranheza de um sujeito aparecer de madrugada totalmente fora do horário de atendimento, não impediu Lyra que também trabalhava como investigador nas horas extras de receber o tão inesperado estranho: Eric.

Eric que estava desesperado por uma "paranoia" que não sabia ao certo se existia, contou sua história, tudo muito confuso para Lyra, este ouvindo atentamente o máximo que pôde para tentar entender a confusão de um colega de quarto que surgiu na vida de Eric. Mas tudo foi muito rápido, porque Eric achou um erro estar ali e logo saiu correndo. deixando Lyra ainda mais curioso sobre o seu caso.

Mas tarde, já em casa pronto para dormir, seu telefone toca - como ele odiava aquele telefone - e ao atender, logo descobre que é Eric, e este parece mais alterado do que quando foi atendido poucas horas antes, este pede ajuda mais uma vez para Bardelli, mas logo se ouve um barulho e Eric desliga o telefone. Uma hora depois, já às 5:30 da manhã, se ouve um baque do térreo do prédio de Eric, e logo o porteiro vê o motivo da explosão: um corpo no chão.

Logo no início daquela manhã, já de volta ao seu escritório, Bardelli recebe a visita de seu velho amigo e delegado Wilson, que trabalha no Departamento Estadual de homicídios e Proteção à pessoa de São Paulo e logo vem a razão de sua presença: um rapaz que se jogou do 15° andar do prédio Royal Residence tinha em sua última ligação na lista de celular, o número de Bardelli e com isso foi pedido sua ajuda para investigar discretamente o caso de Eric, que apesar de ser suicídio, alguns indícios apresentavam ser homicídio.

Lyra que sentiu um pouco de culpa por tudo que ocorreu tão rapidamente, aceitou participar das investigações, mas conforme as investigações avançavam, ele não esperava que o caso tomasse tamanhas proporções e o caso do colega de quarto levasse à um quebra-cabeça tão complexo.

***

Ao começar a ler, senti um pouco de nervosismo, aquela sensação de estar assistindo uma parte tensa de um filme sobrenatural, parecia mesmo que o colega de quarto de Eric fosse um caso de fantasma que o estava deixando louco. e a partir de então, não preguei os olhos para nada, o suspense se prolongou o livro todo.

É uma história que o leitor se põe no lugar do investigador Bardelli, lê suas impressões à respeito do caso, acompanha seu raciocínio e se perde junto com ele quando novos suspeitos vão surgindo. O mais intrigante nisso são os personagens envolvidos na trama, cada vez mais vão surgindo mais à nova situação, e todos parecem suspeitos igualmente mesmo achando que o caso parece mesmo um suicídio ou um caso sobrenatural, ou seja, tudo parece um desconexo ao mesmo tempo que os fatos vão sendo encaixados e quando espera que o caso será solucionado, Bonini surpreende com novos quebra-cabeças.


A leitura flui perfeitamente porque o suspense é agitado, e os fatos vão ocorrendo seguidos de outros. O livro é dividido em três partes: Loucura, Turvo e Lucidez  e os capítulos são muitos e bem curtos, achei a diagramação muito boa colaborando na fluidez da leitura. 

Achei o personagem Bardelli incrível! Ele me pareceu uma mistura de Sherlock Homes contemporâneo com Horatio Caine de CSI Miami, e quanto mais surgia peças para o quebra-cabeça, mais ele se empolgava e levava tudo muito a finco, enfim, o coroa não se cansou ou mesmo mal dormiu até resolver este caso tão complexo e misterioso.

Pela escrita impecável de Bonini à não deixar nenhuma ponta solta e a aventura que vivi ao acompanhar Lyra neste caso tão perturbador, merece e muito 5 lupinhas!

Até a próxima! ;)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar, Caçador(a)!
Volte Sempre!

Para postar links nos comentários, utilize o espaço correto:
1- Clique em Comentar Como:
2- Selecione a opção Nome/Url
3- Em nome, coloque o seu nome ou nick das redes sociais.
4 - Em Url, coloque o link do seu blog ou página das redes sociais.

Pronto, assim você comenta e ainda coloca os seus dados, sem fazer spam.

Para dúvidas, sugestões ou solicitação de informações, encaminhe email para: c.delivros@gmail.com

Caçadora de Livros. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design