7 de jun de 2015

As cores do entardecer (Julie Kibler) @Novo Conceito

Boa noite caçadores!!

Como foi o feriadão?

Bem... fiquei extremamente comovida e não menos surpresa com os conflitos na história de amor no qual são lembranças de uma senhora nos seus 90 anos... lembranças... o que elas passam para quem as escuta e o quanto são importantes para quem viveu. Me lembrei da personagem Rose no filme Titanic quando contou sua história tão apaixonante e triste, rsrs. Mas deixemos de lado o que ela nos causou para dizer o que senti em uma breve resenha a ser contada.

Editora Novo Conceito
Avaliação do Skoob: 4.5
Média: 5

A história começa em Arlington em Texas nos dias atuais. Miss Isabelle, uma senhora que está nos seus quase 90 anos, convida Dorrie, uma jovem cabeleireira  - no qual se tornaram grandes amigas -  para um funeral em Cincinnati, uma cidade à quase mil seiscentos quilômetros de distância de Arlington. Dorrie acha tudo aquilo muito estranho, apesar de já terem uma relação afetiva há mais de 10 anos realizando, além dos serviços de beleza, pequenos favores que só uma pessoa de querida poderia realizar.

Dorrie é uma cabeleireira que trabalhava como contratada em um salão de beleza quando conheceu Miss Isabelle e achou que a mesma era racista ao trata-la tão mal no primeiro encontro, uma vez que ela é negra e Miss Isabelle branca. De fato, algo em relação a sua cor mexia com Miss Isabelle, mas não como ela imaginava. Porém sua relação com ela mudou completamente, pois mesmo montando o próprio negocio abrindo um salão depois de uns anos, atendia Miss Isabelle em casa criando um grande laço como de filha e mãe.

Com todos os problemas por ser uma mãe solteira e negra, com um filho adolescente encrencado e um namorado que não sabia se daria certo, aceita o convite de Miss Isabelle para esta aventura de carro até um funeral até então misteriosa, mas que Miss Isabelle por algum motivo não conseguiria ir sozinha.

Enquanto ambas seguem a viagem com muita conversa, ao mesmo tempo que Dorrie tenta se afastar dos problemas que ocorrem em sua família naquela semana, Miss Isabelle volta com lembranças de sua vida em 1939, quando tinhas apenas 16 anos e vivia com sua família em Sharlesville. 

"Li a placa como se fosse a primeira vez: NEGRO, MELHOR NÃO SER APANHADO EM SHALERVILLE DEPOIS DO PÔR DO SOL."

Nesta época era comum negros trabalharem como domésticos nas casas de família classe alta naquele município, mas que tinham toque de recolher antes de anoitecer, no qual a região criou uma placa alertando e proibindo qualquer negro andar por seu território durante à noite tendo como grave consequência se isto  ocorresse.

A família de Isabelle era mais uma dessas famílias ricas e bastante respeitadas na sociedade, que tinham empregados negros. Isabelle cresceu com o afeto de Cora, - uma mulher que amava e tratava Isabelle como uma filha mesmo sendo apenas uma empregada e cor de pele diferente - e amizade de seus filhos Nell e Robert - este se tornando seu grande amor mais tarde.

Isabelle, era uma menina de apenas 16 anos, que seguia uma vida devidamente restrita com um destino que parecia traçado por uma sociedade extremamente tradicional que tratava gênero com destreza distinção: se preparar para ser uma boa esposa. Mas isso estava longe dos planos de Isabelle, uma vez que sonhava entrar para faculdade, o que era bastante estimulado pelo pai mas um absurdo pela conservadora mãe.
Se não bastasse, quando Robert salvou-a de uma pequena encrenca quando foi-se aventurar à noite escondida de sua família, Isabelle descobriu que sua afeição pelo garoto ia mais além de uma amizade ou relação de filho de empregada com patroa. Ambos sentiam algo diferente e não demorou para se apaixonarem.

Mas sua relação com Robert era extremamente perigosa, uma vez que era proibido por lei na sua região negro e branco se relacionarem ou mesmo casarem-se. Mas ambos fariam de tudo para ficarem juntos. 

Enquanto Dorrie ouve todo o drama da vida de Miss Isabelle, esta tenta resolver à distancia problemas causados por seu filho com a ajuda de um cara que ela mal confiava, seu namorado, isto fruto de relações mal sucedidas anteriormente.

O que será, a partir desta viagem? A vida de ambas se desenrolará? Dorrie conseguirá resolver todas as suas preocupações presentes enquanto que Miss Isabelle desvendará todo o seu passado? O que terá acontecido com Isabelle e Robert? Teria este enredo um final feliz mesmo tudo e todos afirmando o contrário?

É bem certo que ambas são mulheres de cor de pele diferentes mas suas vidas unidas não diferencia em nada disso, mulheres fortes, inteligentes e decididas que fazem ou fizeram de tudo para serem felizes independente do que a sociedade dizia o contrário. 

As cores do entardecer é uma história que trabalha o presente e o passado ao mesmo tempo de acordo como é narrada pelas protagonistas sendo de primeira pessoa. Apesar de parecerem tão distintas, mostram situações de mundos não muito distantes uma da outra. 

Isso porque o racismo nos dias atuais é crime por lei, mas isto não impede da sociedade ter uma visão distorcida da cor da pele. Naquela época, por mais dignos que fossem os negros e trabalhassem para as famílias brancas de forma honesta, sempre viam eles como um perigo se andassem durante à noite.

"Nosso diretor convidou profissionais de carreira para falar com nossa turma. Esperava-se que nós meninas ouvissemos caladas ou estudassemos enquanto os convidados respondiam as perguntar dos meninos [...] Levantei a mão, ignorando o olhar reprovador da professora, até o homem olhar para mim... Sim minha jovem? Alguma pergunta sobre como encontrar e casar com um de nossos brilhantes e associados jovens?"

Outra questão bastante associada àquela época, era a posição das mulheres filhas de famílias ricas. Tinham seus futuros traçados para servirem somente à familia, sendo proibido seguir uma carreira profissional ou mesmo avançar nos estudos. Mas Isabelle era o típico de garota que era inteligente demais para cair nessa teia tradicional e machista e seguir seus sonhos.

Confesso que quando peguei As cores do entardecer para ler, não imaginava que teria uma história tão profunda e emociante quanto de Isabelle, isto porque as imagens da capa além de não ser atraente, não me pareceu nem um pouco associada a história em contra partida o título que revela de fato o enredo.

O que me surpreendeu na história contada por Miss Isabelle, é que sua mãe é que fazia o papel de conservadora e machista que procurava manter a relação de sua família e com família de Cora na posição de patrão e empregado, enquanto que o pai era, além de um excelente médico que ajudava as pessoas, um cara apaziguador que gostava da ideia de sua filha estudar para seguir carreira, uma vez que seus outros dois filhos além de não ligarem para os estudos, mantinham um comportamento parecido com a da mãe, apesar que o pai não contrariava as decisões de sua esposa, o que não ajudava muito Isabelle. Mas ele ajudava e respeita a família que trabalhava na sua casa ajudando Robert a estudar desde pequeno e pagar sua faculdade. Ele amava aquele garoto como um filho.

A verdade é que As cores do entardecer têm muitas lições a se tirar, começando com o respeito que temos com próximo independente da religião, posição social, raça, etnia, gêneros. No mundo em que vivemos hoje, onde a violência perdura por qualquer motivo, o respeito continua sendo um ponto traçado que muitos fingem seguir, presos no seu próprio ego para ser melhor que os outros. A autora além de ter uma escrita ser excelente e instigante, me levou a criticar a igualdade que deveria existir entre humanos como é perante Deus.

Este livro, poderia ser um objeto de estudo, justamente pela profundidade de suas histórias mesmo sendo fictícias em si, mas que são baseadas em um passado que de fato aconteceu e o presente que continua acontecendo. À medida que lia, mais ansiava por um final feliz e claro, me coloquei no lugar de Isabelle, me emocionando com cada palavra dita e sentida.

Eu queria dar 4,5 lupinhas por causa da capa, haha, mas pela excelente e profunda história, vale e muito 5 lupinhas ;)


O que acharam?

Até a próxima! ;)










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar, Caçador(a)!
Volte Sempre!

Para postar links nos comentários, utilize o espaço correto:
1- Clique em Comentar Como:
2- Selecione a opção Nome/Url
3- Em nome, coloque o seu nome ou nick das redes sociais.
4 - Em Url, coloque o link do seu blog ou página das redes sociais.

Pronto, assim você comenta e ainda coloca os seus dados, sem fazer spam.

Para dúvidas, sugestões ou solicitação de informações, encaminhe email para: c.delivros@gmail.com

Caçadora de Livros. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design