14 de jun de 2015

A Rainha Vermelha (Victoria Aveyard) @editoraseguinte @VictoriaAveyard

Primeiro de tudo: vou pedir para você esquecer por um momento todas as leituras de fantasia atuais. Sei que muitos amaram A Seleção (assim como eu), mas depois de ler A Rainha Vermelha, vi que A Seleção era apenas um estágio para esse livro. Sim! Você leu direito! Um estágio, pois com 419 páginas de adrenalina pura, A Rainha Vermelha dispara na frente do livro da Kiera, sendo impossível você não comparar.

Mas, vamos deixar de lenga lenga e começar essa resenha, que acredito que não será fácil, pois um livro bom, intenso e impactante como esse, é difícil você descrever sem revelar spoilers. Mas, vamos lá:

Classificação do Skoob: 4.7
Classificação CDL: 5 Lupinhas
Lançamento: 16 de junho de 2015.

Ser definido por uma raça, religião ou opção sexual já é algo esdrúxulo, agora imagine ser definido pelo sangue. Ser eternamente escravizado porque o seu sangue é vermelho e aqueles que possuem o poder, diferentemente de você, possuem o sangue prata. Imaginem que você por ter o sangue vermelho é obrigado a nascer sob a égide do medo e que quando atinge a maior idade, caso não consiga trabalho, terá que enfrentar uma guerra, onde somente sangue vermelho é derramado, o seu sangue. Imagine que não há escapatória para essa vida, que a sua família precisa que você vá para a guerra, pois ao menos lá você vai ter a chance de lutar, já que se tentar fugir, eminentemente será eliminado.

Imaginaram? Pois bem, essa é a realidade de Mare Molly Barrow, uma adolescente simplória, uma jovem vermelha, nascida em 17 de novembro de 302 da Nova Era, filha de Daniel e Ruth Barrow, que assim como a sua família e seu amigo Kilorn, moram no vilarejo Palafitas. 

- De vez em quando esqueço que você tem pernas de criança.
- Melhor do que ter cérebro de criança.
p.08

A Primeira Sexta é algo repugnante para Mare. Nesse dia os agentes de segurança invadem o vilarejo, com pequenas armas, apesar de não precisarem, afinal todos eles são prateados e como tal não temem os vermelhos. Além disso, ainda há os eventos, chamados de Efeméridas: consistem basicamente no enfrentamento de prateados, porém Mare entende bem o motivo desses eventos, que não são realizado para entreter, na verdade são eventos que demonstram o poder dos prateados.

Ele não entende o que são esses shows. Não se trata de um simples entretenimento, um descanso para o nosso trabalho cansativo. É uma mensagem fria e calculista. Apenas os prateados podem lutar na arena porque apenas eles podem sobreviver à arena.
p.10

Diferente de Mare, Gisa, sua irmã mais nova, possui habilidade com a costura e bordado, o que a faz desde cedo trabalhar e garantir o sustento da família, porém não se deixe enganar pela paciência e calma de Gisa.

Mare e Gisa são as únicas que ficaram em casa, seus irmãos Shade, Bree e Tramy estão lutando na guerra, uma guerra que há anos acontece e que não tem vislumbre de fim.

A sensação de que a guerra está se aproximando de Mare é iminente, afinal está prestes a completar 18 anos e até o momento não foi empregada. Toda a família pensa sobre isso, mas ninguém tem a coragem de falar sobre o assunto.

Quando Kilorn cai em desgraça, Mare não pensa duas vezes e tenta salvar o pescoço do amigo, falando com Farley, uma mulher misteriosa e dura. A proposta que Farley faz é algo impossível de concretizar, mas quem disse que Mare é ajuizada?

Depois de uma tentativa frustrada, que gerou dor para a sua irmã Gisa, Mare sai de noite, tentando ainda salvar o pescoço do amigo, quando se depara com um jovem, que além de ter identificado que iria roubar-lhe, entrega-lhe uma moeda, uma tetrarca de prata, que vale uma coroa.

- Não é o meu caso.
- Mas você é...
- Jovem. Tenho dezessete anos - completo. - Ainda tenho tempo antes do recrutamento.
[...]
- Quanto tempo?
- Cada dia menos.
p.52

Depois do encontro, Mare tem uma reviravolta de 360 graus em sua vida e como a personagem, você também fica com frio na barriga.

- Você foi intimada a ir a Summerton.
p.59
Summerton, nada mais é que a pequena cidade da casa de verão do Rei Tiberias e Mare foi intimada a assumir um posto de criada, no Palacete do Sol. Se você pensava que até aqui já havia sentido todas as emoções e reviravoltas possíveis, tenho que informar que você foi enganado e nem sentiu tudo o que há por vir. A partir do momento que Mare entra no seio Real, tudo muda, em gênero, número e grau. Mare é uma vermelha, em todos os sentidos, porém possui habilidades até então adormecidas, ganham vida quando a sua vida corre perigo. E aí é tiro, porrada e bomba! 

Tantas vezes me peguei rindo alucinada, gritando incentivos, torcendo por Mare! É sensacional como a escrita da Victoria faz com que você fique envolvido na trama, torcendo pelos personagens e intuitivamente sabendo quem vai trair quem. 
Há tantos personagens secundários (Lucas Samos, Príncipe Cal, Rainha Elara, Príncipe Maven, Evangeline) que são importantes, não somente para o crescimento de Mare, mas para aguçar o seu senso de Justiça, leitor.

Estou viva.p.79

Por tudo isso, A Rainha Vermelha já se tornou o livro favorito do ano e olha que não é pouca coisa não. A apresentação do livro descreve perfeitamente o que você vai encontrar (uma mistura de GOT, A Seleção e X-Men).

O livro ficou em 1º lugar no New York Times e os direitos para o cinema foram obtidos pela Universal, só para vocês sentirem o "poder" da escrita de Victoria.

Como havia dito para Marisa e Almicéia do Primeiras Impressões, eu estou louca pela continuação, pois é impossível ler e ficar calma com tudo o que aconteceu! Jesus tome de conta, pois  não sei como vou ficar ao ler a continuação, não sei!

Eu recebi o ARC do livro, por isso irei analisar a capa e o conteúdo, apenas.
A capa é linda e descreve bem como é o conteúdo e o conteúdo minha gente é SENSACIONAL!
Há muita emoção, disputas políticas, enfrentamento de forças, traições, romance (mas, nada melodramático), enfim, perfeito!

Por isso, levou a classificação máxima do blog:


Gostaram?
Comentem! ^^
Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar, Caçador(a)!
Volte Sempre!

Para postar links nos comentários, utilize o espaço correto:
1- Clique em Comentar Como:
2- Selecione a opção Nome/Url
3- Em nome, coloque o seu nome ou nick das redes sociais.
4 - Em Url, coloque o link do seu blog ou página das redes sociais.

Pronto, assim você comenta e ainda coloca os seus dados, sem fazer spam.

Para dúvidas, sugestões ou solicitação de informações, encaminhe email para: c.delivros@gmail.com

Caçadora de Livros. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design