20 de fev de 2015

Mentirosos (E. Lockhart) @Seguinte

Boa noite Caçadores, tudo bem?


Aproveitei na semana de carnaval para colocar minhas leituras em dias e ao ler este, meu coração pareceu sair, de tanta aflição. Apresento este livro como uma excelente recomendação para você que ama suspense, ama uma leitura criativa e cheia de quebra-cabeça, ama ler em primeira pessoa. Confesso que desde que o li, me apaixonei pela autora, pela sua escrita poética e jogadas de cenas bem legais.


Editora Seguinte
Classificação no Skoob:4.5
Classificação: Cinco Lupinhas.

Eu costumo ler as sinopses antes de ler o livro, mas este só fiz ler sua CDD (Classificação Decimal de Dewey) e os comentários que alguns autores fizeram a respeito da leitura na parte de trás, e pensei: Ah, um livro Infanto-Juvenil que trata sobre relacionamento familiar, sobre a amizade dos “mentirosos”, deve ser bem doce. Mas à medida que lia e a estrutura de como a história foi feita, desconfiei que algo iria acontecer de tão devastador que não acreditaria de imediato, e foi o que aconteceu. Vou começar:

A família Sinclair é uma família americana muito rica no qual tem uma ilha particular chamada Beechwood situada em Massachusetts, EUA. Ela é composta por quatro mansões belíssimas, sendo uma do patriarca Harris Sinclair e sua esposa Tipper Taft  e as três de suas respectivas filhas Carrie, Bess e Penny, no quais nomeou cada uma. 

A ilha tem, além das mansões, duas praias, quadra de tênis, casa dos empregados, além de um cais com veleiro e lancha. Seu patriarca reúne suas três filhas e respectivos filhos todo ano durante o verão para passarem as férias da forma mais tradicional possível, já que as filhas não seguiram suas vidas financeiramente bem e dependem da herança do pai para seu sustento. Isso faz com que elas briguem entre si para domínio das coisas do mesmo, tornando suas férias bem inquietantes, apesar dos pequenos(filhos) ignorarem até certo tempo.

A história gira em torno de Cadence, a neta mais velha entre os primos Sinclair e principal herdeira de tudo.  Ela, seus primos Mirren e Johnny, e o amigo Gat ficam juntos e inseparáveis desde que Gat pisou na ilha aos 8 anos e formam o grupo “Mentirosos”. Gat é sobrinho de Ed (namorado de Carrie), ambos desgostosos na visão de Harris, já que aparentemente não são como os Sinclair, loiros, brancos e de olhos azuis: “os Sinclair são atléticos, altos e lindos. Somos democratas tradicionais e ricos” (p. 13). Mas isso não é o menor dos problemas, já que a família parece entrar em decadência e as filhas do patriarca brigarem constantemente pela herança usando os netos para tais vontades.

Mas, o real problema começa no verão dos quinze anos de Cadence, quando ocorre um acidente e esta perde a memória e passa a sentir fortes dores de cabeça – no qual os médicos aparentemente diagnosticaram como “traumatismo crânio encefálico” – desde então. Passam-se dois anos sem Cadence ir a Ilha, até que retorna no verão dos seus 17 anos com indicação do médico para tentar melhorar e fazer sua memória voltar. Cadence então decide anotar durante o verão dos seus 17 anos todas as lembranças que consegue do verão dos quinze e grandes surpresas, alegrias, decepções, aflições e dores acontecem até o final das férias.

Para tanto, forma-se um suspense dos fatos que vem sendo lembrados por Cadence, não somente da versão dos quinze, como em outros verões, à medida que aproveita as férias com seus Mentirosos e sua família decaída. Lembranças do seu amor por Gat: “Não era apenas Gat. Era contemplação e entusiasmo. Ambição e café forte”. Do carinho pelo primo Johnny: “Johnny é estalo, iniciativa e sarcasmo”.  Da ternura pela prima Mirren: “Mirren é açúcar, curiosidade e chuva”. Juntos, eles tornam os verões bonitos e incríveis e que fazem para tornar os momentos que viveram... eternos.

Sobre a família, vocês têm que gravar de início sua estrutura, o que autora disponibiliza logo nas primeiras páginas o mapa da Ilha e a árvore da família. Depois disso, tudo se torna fácil. Eu particularmente passei a odiar as filhas de Harris, pela ambição delas sobre a herança do pai e deixar tudo complicado no relacionamento da família. E criei certa raiva pelo próprio patriarca Harris, porque este literalmente manipulava sua família através do dinheiro e dizendo estes irritantes lemas o tempo todo: “Seja resoluto, ninguém gosta de gente evasiva”; “Nunca reclame, nunca explique”; “Não aceite não como resposta” e “Nunca sente nos fundos da sala. Vencedores sentam na frente”.

Depois de lido, pensei: poxa, este livro é de classificação Literatura Infanto-juvenil? Porque ele é muito profundo e é indicado (sem sombra de dúvida) para todas as idades, para as famílias que hoje se tornaram tão modernas. 

Não posso dizer muito além disso, porque a leitura é muito devastadora, você sente toda a aflição de Cadence de acordo com os fatos lembrados e se surpreende, uma vez que a história conta sobre problemas de família que vocês imaginariam nunca acontecer, mas que poderiam sim, ocorrer em qualquer família. A autora torna além das cenas bem criativas, uma leitura lírica o que deixa tudo maravilhoso e ao mesmo tempo triste. 

Merece cinco lupinhas sim, por ser um livro excelente e com um enredo bem elaborado! Super indico!


É isso! Espero que se apaixonem assim como eu me apaixonei!


Até a próxima!


4 comentários:

Ananda Malheiros disse...

Esse é o típico livro que me deixa totalmente confusa, com suas estruturas familiares, árvore genealógica, mapas e todo o mais, mas é tipo que mais me chama a atenção. Força o leitor a prestar atenção na leitora, focar no que é escrito e demostra a habilidade do autor na hora de escrever e não nos deixar mais confusos ainda. rs

Amei a resenha, e estou totalmente completamente necessitando desse livro pra hoje! kk

Realmente, pela tua resenha, percebe-se que o livro é para todas as idades.

Bjos e bom fim de semana pessoal!

Blog|Twitter|Instagram|Sorteios

Carlos Rodrigo disse...

Estou louco para ler esse livro. Sua resenha me deixou mais louco ainda... Agora vou ficar aqui, tentando comer a própria perna de ansiedade.
Meu Nome é Carlos Rodrigo e...

Emyle May disse...

Ananda e Carlos, que bom que gostaram da minha resenha, espero que gostem do livro quando adquiri-lo :3

Emyle May disse...

Ananda e Carlos, que bom que gostaram da minha resenha, espero que gostem do livro quando adquiri-lo :3

Postar um comentário

Obrigada por comentar, Caçador(a)!
Volte Sempre!

Para postar links nos comentários, utilize o espaço correto:
1- Clique em Comentar Como:
2- Selecione a opção Nome/Url
3- Em nome, coloque o seu nome ou nick das redes sociais.
4 - Em Url, coloque o link do seu blog ou página das redes sociais.

Pronto, assim você comenta e ainda coloca os seus dados, sem fazer spam.

Para dúvidas, sugestões ou solicitação de informações, encaminhe email para: c.delivros@gmail.com

Caçadora de Livros. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design