13 de jan de 2015

Outlander - A Viajante do Tempo (Diana Cabaldon) @SdE_Brasil

Boa noite, caçadores!
Tudo bem com vocês?
O livro que irei apresentar, eu li em 2014 e como sou compulsiva, já fui lendo o segundo livro, mas vamos focar agora em:

Skoob
Média do Skoob: 4.7
Compare & Compre
Exemplar enviado pela SdE Brasil
Série: Outlander - 8 Livros já publicados.
Cinco Lupinhas


E se o seu futuro fosse o passado?

Essa frase revoluciona o imaginário do leitor. Eu fiquei curiosa antes de ler e tocada ao final da leitura. Mas, antes que esta Caçadora fique gritando aos cinco ventos para você ler o primeiro livro da série e acompanhar a saga de Claire, irei expressar objetivamente o que achei da leitura e você por conta e risco pode ler agora as minhas impressões. ;)



Ficou? Está aguardando as impressões? Ok, eu avisei. Há alguns fatos que você não vai encontrar na sinopse e que se eu não revelar, você não vai entender, mas não se preocupe, não irei revelar os fatos importantes.

Claire Elizabeth Beauchamp Randall e Frank Randall são casados e após um longo tempo separados (A segunda guerra ocasionou isso, um lapso temporal de seis longos anos), decidiram renovar os votos com uma segunda lua de mel. Isso tudo acontece em 1945. Porém, Claire descobre que o seu esposo é alguém que apesar de amoroso, com toda certeza, fraquejou durante a sua ausência, o que não aconteceu com ela, que se manteve fiel ao relacionamento. Já perceberam que eu não gostei muito do Frank? Para mim, apesar de muito inteligente (ao menos pelos olhos da Claire), Frank é o típico homem que não suporta o desenvolvimento da mulher. Ele fica horrorizado com determinadas atitudes de Claire, porém quer que ela não sinta nada, quando ele que tem determinadas atitudes suspeitas. E quando digo suspeitas: Frank decidiu investigar um antepassado, Jonathan Randall, capitão do 8º Regimento de Dragões, que de acordo com os textos da época, era um grande homem (sabe de nada inocente) e Claire, cansada dos desvarios do marido, foi estudar botânica, passeando pelas lindas paisagens da Escócia. E aí que começa o livro, para a glória de todos, pois eu sinceramente não aguentava mais o Frank...

Claire, após ter presenciado um encontro místico de druidas na montanha Craigh Na Dun, mais precisamente em um círculo de pedras, resolve voltar no outro dia para coletar uma planta para pesquisas, porém quando ela entra no círculo, ela começa a escutar sons fortes de batalha e para fugir daquilo tudo ela entra em uma fenda entre as pedras e aí, para a animação do leitor e desespero de Claire, ela vai parar na Escócia de 1743, antes da revolução Jacobita, e encontra o antepassado de Frank, (que de bom não tem nada), e logo após um susto (ou melhor, quase foi vítima de um ato covarde) é salva por um grupo de escoceses, apesar de alguns quererem ter a mesma atitude de Jonathan Randall...

Desorientada e sem saber o que estava fazendo naquele ano e local, Claire é útil e respeitada por seus dons de enfermeira, que diante das dificuldades e falta de saneamento da época, conseguiu salvar um belo rapaz de 23 anos, que mais tarde viria a ser o seu amigo e confidente dentro do Castelo Leoch, o seu nome: Jaime Fraser, ou melhor, James Alexandre Malcolm Mackenzie Fraser.

Há personagens secundários que irão surpreender, como Colum ban Campbell Mackenzie, senhor do Castelo Leoch e o seu irmão, Dougal, que sinceramente é um porco.

Ian Murray, esposo de Jenny (irmã de Jamie), possui um ótimo temperamento e acaba sendo um ótimo amigo para o casal Claime (Claire + Jaime).

A Viajante do tempo é um livro completo e vou explicar o porquê: Há romance, aventura, mistério, magia, comédia e muita ação!

Claire é uma mulher independente, enfermeira, que com essa bagagem toda é respeitada e temida pela população de 1743. Uma mulher de 27 anos, que naquela época parecia que tinha 22 anos, para vocês terem uma noção de quão dura era a vida para as mulheres. Alguns pensavam que ela era espiã, outros que era uma bruxa, só para vocês terem uma noção de como Claire é poderosa. Outro fato que acho importante destacar é a força da personagem. Diana não foi leviana na construção dessa personagem e acredito que muitas mulheres se viram em Claire.

E o que falar de Jaime? Jaime é companheiro, carinhoso, respeitador, um verdadeiro cavalheiro. Forte, Justo e apesar de mais novo que Claire, chega a ser mais sensato que ela, ao menos, eu achei.

E o que dizer com essa frase:

Mo duinne = Minha Morena


Você não cansa de ler e acompanhar a vida dos dois, tanto que a transformação de amizade para amor, apesar dos pesares, foi natural. Todo mundo aguardava a transformação do relacionamento dos dois, até mesmo os personagens. |º/

- Deite sua cabeça aqui, rapaz - disse, lembrando-me de Jenny e seu filho.
- Minha mãe costumava fazer isso comigo - murmurou ele -, quando era era criança.
Jamie deu um grunhido, achando graça.
-Sassenach - disse ele, o rosto enterrado em meu ombro, um minuto depois.
- Hummm?
- Quem diabos é John Wayne?
- É você - respondi. - Durma agora.
P. 719.

As páginas são amareladas, as letras são médias e o livro dividido em sete partes. Cada parte mais intensa que a outra. E quando você termina o livro, já vai com sede para o segundo livro, mas isso é tema para a próxima resenha.

Por tudo o que falei, o livro levou a nota máxima do blog, afinal Claire e Jaime é amor! |º/

Gostaram da resenha?
Pois, fiquem de olho!
Teremos promoção em breve com um exemplar do segundo volume da série.
Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar, Caçador(a)!
Volte Sempre!

Para postar links nos comentários, utilize o espaço correto:
1- Clique em Comentar Como:
2- Selecione a opção Nome/Url
3- Em nome, coloque o seu nome ou nick das redes sociais.
4 - Em Url, coloque o link do seu blog ou página das redes sociais.

Pronto, assim você comenta e ainda coloca os seus dados, sem fazer spam.

Para dúvidas, sugestões ou solicitação de informações, encaminhe email para: c.delivros@gmail.com

Caçadora de Livros. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design