23 de jan de 2015

Filme: Drácula de Bram Stoker (1992) @SonyPictures

Boa tarde, caçadores! Como estão? Bem, primeiramente dizer que é minha primeira coluna e que estou muito feliz de ter aceitado o convite ilustre da Caçadora de Livros para fazer parte deste mundo literário cheio de coisas boas para explorar.

Enfim, esta é minha primeira resenha e resolvi começar com um clássico no qual sou muito fã que é nada mais nada menos que o Drácula de Bram Stoker.

Apesar que o primeiro escrito que temos sobre vampiro seja de John Polidori no séc XIX, mas a visão que temos de vampiro veio pelo romance do escritor irlandês Bram Stoker em 1897, seja pelo seu jeito sinistro ou pela sua sedução, Drácula se tornou grande referência para diversas outras versões de vampiros até hoje.

Sem mais delongas, escolhi para resenha, um dos filmes, que vamos assim dizer, foi o mais próximo da História de Stoker, tipo, só próximo, porque boas e importantes partes foram reinventadas o que o deixou o filme impactante, porque, vamos ser sinceros, romance em uma história mesmo sendo terror/suspense, torna tudo bem mais interessante e intrigante, não acham?

Ano: 1992
Gênero: Terror
Duração: 127 min.
Origem: Estados Unidos
Roteiro: Bram Stoker, James V. Har
Distribuidor: Columbia Pictures

Na história do filme, ano de 1464 na Transilvânia, um líder e guerreiro dos Cárpatos (Gary Oldman), Vlad Tepes, vai para guerra e ao retornar encontra sua esposa Elizabeta (Winona Ryder) morta. Ela comoete suicídio, pois recebeu uma carta falsa que informava que Vlad havia morrido. Então diante da dor da perda e da ira da mentira, Vlad renega a igreja, quando padres recusam a enterrar Elizabeta em solo sagrado pelo fato de ter sido suicídio. Por razão do seu amor perdido, Vlad se transforma em Drácula tornando-se um ser das trevas vagando por séculos, até que em 1897, ao contratar o advogado Jonathan Harker (Keanu Reeves), descobre que Mina Murray (Winona Ryder), noiva deste, é a reencarnação da sua amada esposa Elizabeta. Daquele momento em diante, Drácula manipula Jonathan para que o mesmo fique em seu castelo por um mês, pedindo que mandasse cartas a seu chefe, família e noiva justificando a situação. O que Harker não esperava era se tornar a partir dali prisioneiro de Drácula. Drácula deixa Jonathan sob o poderio das suas “servas” e vai para Londres com o objetivo de encontrar com a reencarnação do seu amor perdido e assim torná-la sua. A partir daí, segue a jornada do príncipe da Transilvânia, que extremamente sedutor e ao mesmo tempo perturbador com sua insaciável fome de sangue, acaba envolvendo personagens significantes como Lucy (prima de Mina) e Dr. Van Helling na busca para solucionar tantas mortes ocorridas na Londres Vitoriana da Inglaterra.

Particularmente achei o filme encantador e digamos picante, pena que não exploraram Keanu Reeves como deveria, rsrs. O final foi um tanto desesperador, na expectativa de tudo dar certo para todos, ao mesmo tempo torcendo por Mina e Drácula, pelo fato de toda a história trágica de amor perdido, mas também torcendo por Mina e Jonathan, por serem um casal apaixonado, cheio de sonhos e planos. 

Quer saber o que aconteceu? Quem teve um final final? Teve um final feliz? Isso vocês só vão descobrir quando assistir! Haha.
Gostaram?
Esperem até semana que vem quando postar a resenha da obra de Bram Stoker!
Até mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar, Caçador(a)!
Volte Sempre!

Para postar links nos comentários, utilize o espaço correto:
1- Clique em Comentar Como:
2- Selecione a opção Nome/Url
3- Em nome, coloque o seu nome ou nick das redes sociais.
4 - Em Url, coloque o link do seu blog ou página das redes sociais.

Pronto, assim você comenta e ainda coloca os seus dados, sem fazer spam.

Para dúvidas, sugestões ou solicitação de informações, encaminhe email para: c.delivros@gmail.com

Caçadora de Livros. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design