14 de out de 2013

Levantado do chão (José Saramago)



Levantado do chão (1980-2013)
Livro enviado pela Companhia das Letras
400 Páginas
Preço Sugerido: R$ 49 

José Saramago é um autor muito conhecido – e reconhecido – aqui no blog. Entretanto, como um prêmio Nobel de literatura merece, sempre que pudermos, vamos resenhar livros do autor.


O livro dessa  vez, Levantado do chão, foi publicado em 1980 e foi o responsável por consagrar o autor em sua terra natal: Portugal.  No Brasil, a Companhia das Letras o lançou recentemente, em agosto, juntamente com o Memorial do convento, que logo logo terá a resenha publicada por aqui (antes, essas duas obras eram editas por outra editora, a Bertrand Brasil.

Dito isso, vamos à resenha, caçadores! E se preparem, porque esse livro é demais!


Levantado do chão é um romance histórico. Desde o final da Monarquia portuguesa, do final do século 19, até a Revolução dos Cravos, em 1975. E é bonito. Há toda uma crítica social no livro. Daqueles que não tem terra, e todo dia se levantam do chão para trabalhar e, quem sabe, um dia, tê-las.

O livro conta a história da família dos Mau-Tempo. Ou talvez a família seja o pano de fundo para a real história. Pois bem. A família dos Mau-Tempo é uma família de trabalhadores, ou operários, braçais. Começando por Domingos Mau-Tempo, que é o matriarca de toda uma geração. Por conta da morte deste, o restante da família está fadada ao trabalho no latifúndio para sobreviver – já que nenhum dos filhos terá estudo suficiente para tentar melhorar a vida.

 E é nesse lugar que as gerações seguintes passam boa parte da vida trabalhando.

Nesse contexto que surge João Mau-Tempo, filho de Domingos, que começa a se reunir com homens e entende que a vida que tem  nada mais é do que exploração. Jornadas insuportáveis de trabalho, salário menor do que deveria.  Tudo isso faz com que ele e outros companheiros de enxada se unam para organizar greve por melhorias nas condições do trabalho, como redução de jornada e aumento de salário.

As greves sempre são reprimidas pela polícia, que os prende e os tortura. Polícia que, segundo Saramago, só serve ao interesse dos patrões. E por isso trabalhadores não têm direito a nada (no livro as cenas deixam explicito isso).

O direito que eles têm é de votar em quem os patrões mandam, em assistir a comícios nacionalistas sem entender nada, e de acreditam que o ditador Salazar é um bom homem. 

O que Saramago mostra com o livro é que os trabalhadores, apesar de tudo,  sonham por uma vida melhor. Sonham com a redistribuição das terras.  O que, em certos momentos do livro, parece que não vai acontecer.  

“Talvez amanhã os patrões venham ao trato e acordo, talvez se descubra uma panela de libras debaixo da chaminé, talvez a galinha ponha ovos de ouro, de prata também servia, talvez os pobres acordem ricos e os ricos pobres. Mas nem em sonhos estes gozos se alcançam. (p.149)”
Para o autor, o mal, além dos patrões, do latifúndio, e da polícia, é a Igreja Católica. Os erros dessa instituição são representados – e muito bem, diga-se de passagem – pelo padre Agamedes. Em diversas oportunidades, o padre puxa o saco dos donos de terra e tenta mostrar aos trabalhadores que, não fossem os ricos, eles não teriam onde trabalhar e nem o que comer.

Com o passar dos anos e com a chegada da Revolução dos Cravos, finalmente parece que a família dos Mau-Tempo, que já está na quarta geração, poderá ter uma vida melhor. Com a expropriação das terras das mãos dos patrões, e com a organização delas pelas mãos dos trabalhadores.

Levantado do chão é um livro sobre a luta de classes. É sobre a luta de lavradores contra latifundiários, que em seus latifúndios, exploram o trabalhador, suga dele toda a força e a vontade de viver, e o aliena para o restante do mundo.  Mas também é um livro de esperança.  Que mostra a persistência do homem por uma vida melhor e pela igualdade entre seus. 

Um romance muito bonito.  Vale a pena a leitura.

P.S.: para a melhor compreensão do livro, é necessário entender - ou ler - um pouco da história de Portugal, da ditadura de Salazar até a Revolução dos Cravos. 



 Capa: 10 - Como já disse em outras oportunidades, as capas da Cia, para o Saramago, são demais. Aliás, essa tem um detalhe: é vermelha. Ao meu ver, é porque o livro é sobre pessoas que se organizam em grupos para uma vida melhor. Sem Terras ou Comunistas. 

Conteúdo: 10  - Saramago, como sempre, genial. 

É isso aí, caçadores, o que acharam? 

Até!



6 comentários:

Lucas Gilmar disse...


realmente parese ser uma boa casada
@livroazuis
livro-azul.blogspot.com.br

Aline T.K.M. disse...

Mais uma vez, excelente resenha. Apesar de ser fã do Saramago, sabia muito pouco sobre esse livro, e gostei porque tenho grande interesse na ditadura de Salazar (assunto sobre o qual gostaria de saber mais, mas que até hoje li pouquíssimo sobre). Bem interessante saber que Levantado do chão aborda tal momento histórico, e claro, haveria de ter a crítica à Igreja, senão não seria Saramago hehehe. =)

Um beijo, Livro Lab

João Victor disse...

E é, com toda a certeza, Lucas.

Abraço.

Vanilda disse...

Infelizmente ainda não tive oportunidade de ler nada do Saramago e acho que tenho um débito grande por causa disso. Gostei muito da resenha e até da informação sobre a necessidade de conhecer um pouco da história de Portugal. Achei excelente a indicação.

João Victor disse...

Aline, você já é uma ávida leitora do Saramago. Creio que ler esse livro servirá para você se apaixonar mais ainda pela obra do autor.

Beijão!

João Victor disse...

Vanilda, ainda há tempo de você se redimir desse pecado. haha.

Obrigado pela visita no blog e continue nos acompanhando.

Ah, e vá ler um livro do Saramago. haha.

Beijão!

Postar um comentário

Obrigada por comentar, Caçador(a)!
Volte Sempre!

Para postar links nos comentários, utilize o espaço correto:
1- Clique em Comentar Como:
2- Selecione a opção Nome/Url
3- Em nome, coloque o seu nome ou nick das redes sociais.
4 - Em Url, coloque o link do seu blog ou página das redes sociais.

Pronto, assim você comenta e ainda coloca os seus dados, sem fazer spam.

Para dúvidas, sugestões ou solicitação de informações, encaminhe email para: c.delivros@gmail.com

Caçadora de Livros. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design