25 de mar de 2013

Toda Poesia (Paulo Lemisnki) @ciadasletras


Livro encaminhado pela Companhia das Letras
424 Páginas

Desconheço pessoas que não gostem de uma boa poesia. Creio que você, caçadora (or) também goste.  Ora bolas, por que, então, não ler uma obra completa e de um bom poeta? (Nossa! Até rimou)

Pensando nisso, e talvez até em você, a Companhia das Letras reuniu em um baita livro, toda a qualidade poética e genialidade de Paulo Leminski (1944-1989).

Toda Poesia é uma compilação de todos os livros de poemas do autor. Faço esse adendo porque, além de poeta, Leminski foi romancista, judoca, jornalista, tradutor, compositor e professor de cursinho. Ufa, quanta coisa para este pequeno mundinho! (Outra rima)

Uma das facetas do “Samurai Malandro” – um dos apelidos de Paulo – foi transitar por diversos gêneros poéticos. Do lírico ao humorístico. Do haikai ao concretismo.  Da facilidade em criar rimas complexas e ao mesmo tempo simples. Para Leminski não havia limites.

Abaixo, alguns poemas.
O olho da rua vê
o que não vê o seu.
Você, vendo os outros,
pensa que sou eu?
Ou tudo que teu olho vê
você pensa que é você?

Amando,
 aumenta
até duas mil vezes
o tamanho.

 luxo saber
 além destas telhas
um céu de estrelas

A obra, que é separada pelas publicações, realmente cativa o leitor. Nela, quem estiver lendo pode encontrar todas as fases de Paulo e ver a sua maturidade poética. Ou melhor, perceber a evolução dos versos concisos do autor, passando por mais de 600 poemas.

Nas páginas onde estão reunidos os poemas entre 1988 e 1989, selecionados por Paulo  e por sua companheira, a também poeta Alice Ruiz,  publicados postumamente no livro La vie em close (1991), um poema me chamou a atenção.  Chamou porque o poema foi escritor durante os últimos anos – talvez dias – do autor, e remete a uma lápide. A questão é:  estaria Leminski  pensando em sua morte para imaginar sua própria morte, ou seria mais um poema apenas. Leiam, caçadores (as) e tirem suas próprias conclusões.

lápide 1
epitáfio para o corpo
Aqui jaz um grande poeta.
Nada deixou escrito.
    Este silêncio, acredito,
são suas obras completas.

Além de muito bonito, curioso, não?

No livro, também, estão reunidos poemas (quase) inéditos. Quase, porque saíram em pequenas edições na cidade natal do autor, Curitiba-PR, mas ficou perdido para o grande publico.

Realmente o livro é uma obra excelente (olhem eu rimando de novo!)! Parabéns à Companhia das Letras, e a ex-mulher do poeta, Alice Ruiz, que esteve presente em todo processo de produção da obra.

Para fazer a divulgação do livro, a editora fez um booktrailer narrado por Arnaldo Antunes. Ficou show. Confiram:




Vamos às notas.

Capa: 10 – Perfeita.  O nome do livro e do autor “pintado”, como se alguém utilizou pincel. Além do mais, a sacada de colocar o bigode, uma das características do autor, foi sensacional. Quem conhece Paulo vai amar e comprar. Quem não conhece, irá ficar tentado a conhecer.
Diagramação: 10 -  A cor do livro é bonita. As letras, ora normais, ora como se fossem datilografadas por uma máquina de escrever, dão um charme a obra. Sem contar com todos os detalhes que separam os poemas.
 Conteúdo: 10 – Simples e genial. Complexo e normal. Creio que isso basta. E sim, eu rimei novamente (risos).

Ah, outro detalhe. Na edição que a Companhia me enviou, veio um marca página muito bonito. E nele vem um “mini-bigode” de Leminski. A foto é está abaixo. Vai um poema junto com a mesma. Espero que gostem (risos).


Caçadores
Fiz esta resenha de todo o coração
Espero que tenham gostado
Talvez até amado
Mas odiado não

 E me despeço
Com o livro em minhas mãos
Com o bigode em meu buço
E torcendo para que
Ao verem a foto
Vocês não tenham levado
Um susto

Até a próxima, caçadores!!





7 comentários:

Camila Márcia disse...

Uau que mágica a sua resenha João Victor!
Estou lendo esse livro, porque Paulo Leminski foi o segundo poeta por quem me apaixonei perdidamente. O livro é tudo o que você disse mesmo e o bom da poesia é que toca cada leitor/poeta/apaixonado de uma forma singular... É quando palavras conseguem ter sentido de verdade, quando palavras ganham vida!

bjs,
Camila Márcia
@camila_marcia
De Livro em Livro
Devaneios Fugazes

João Victor disse...

Camila Márcia!

Obrigado pelo elogio. Sobre a forma como você descreveu com a poesia toca cada um, concordo com você.

Beijão!

Amanda Carolina disse...

Por acaso encontrei essa resenha pesquisando no google sobre o livro. rsrsrs

Parabéns, João! ficou muito boa e me deixou mais curiosa para ler o livro.


bj

Alyne Lemos disse...

Que bom que gostou da leitura mas eu não gosto nenhum pouco de poemas. Poucos aqueles que me agradam.

Beijos.
Páginas na Estante
@alyneadriana

Sonia disse...

A poesia sai um pouco da minha zona de conforto. Mas nunca desisti de um dia ler um livro de um poeta.
Quem sabe não é este?

soniacarmo
retalhosnomundo.blogspot.com.br

Caçadora de Livros disse...

João, a resenha foi ótima, mas o melhor de tudo foi a sua foto!
Adorei a dinâmica! ^^

João Victor disse...

Amanda Caroline: pô, fico feliz que o Google tenha ajudado você para chegar aqui!

Alyne,leia esse livro, tenho certeza que você mudará de opinião. hehe.

Sonia, isso mesmo. Vai fundo que esse é bom!

Obrigado, Fer. Você gostou mesmo da foto? Obrigado! Beijão!

Postar um comentário

Obrigada por comentar, Caçador(a)!
Volte Sempre!

Para postar links nos comentários, utilize o espaço correto:
1- Clique em Comentar Como:
2- Selecione a opção Nome/Url
3- Em nome, coloque o seu nome ou nick das redes sociais.
4 - Em Url, coloque o link do seu blog ou página das redes sociais.

Pronto, assim você comenta e ainda coloca os seus dados, sem fazer spam.

Para dúvidas, sugestões ou solicitação de informações, encaminhe email para: c.delivros@gmail.com

Caçadora de Livros. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design