11 de jul de 2012

Resenha: Quatro Louras (Candace Bushnell)

Bom dia, Caçadores!
"Candace Bushnell continua revelando os segredos das mulheres. Dessa vez você irá conhecer um pouco mais sobre as louras. Divertido e verdadeiro" - Alair Lemes.

Ed. Recod
ISNB: 85-01-06117-4
350 páginas
Skoob
Compare & Compre

Classificação:
Capa: 7,0
Conteúdo: 80
Diagramação: 8,5

Sinopse: Janey, Winnie, Cecelia e Minky são quatro louras que começam a enfrentar a chegada da idade madura num meio em que a beleza é sinônimo de juventude. De uma modelo que parece estar sempre em busca do próximo milionário a financiar seus gostos caros até a escritora que resolve largar tudo para encontrar um amor ideal em Londres, Quatro Louras expõe mulheres em busca de algo mais para suas vidas num mundo que parece colocá-las o tempo todo à prova.


Que eu sou fã da autora Candace Bushnell todos já sabem. Desde que li Selva de Batom eu fiquei impressionado com o estilo da autora. Depois desse livro li Sex and the City e agora li Quatro Louras. E querem saber mais? Então vamos lá.

O livro é dividido em quatro partes. Em cada parte conhecemos uma loura e seus dramas.
Com jeitinho: conhecemos Janey Wilcox que, com jeitinho, consegue caras milionários e os namora apenas para conseguir passar os verões nos Hamptons, uma praia para Vips. Ela “paga” a mansão, carro esportivo e todo o luxo que o cara da vez pode oferecer, com sexo. Depois do verão ela volta a ser solteira.
Janey é uma ex modelo que foi duramente criticada pela mãe quando criança e que depois de conhecer o cineasta Comstock Dibble, deixa a maluca ideia de ser escritora para ser roteirista.
É engraçada ao extremo a história de Janey. Conseguimos compreender perfeitamente o motivo de a loura ser assim. Ela tem um final digno. No fundo ela sempre lutou por isso. É como ela diz “Não sei onde estou indo. Mas sei que vou chegar a algum lugar.”
Destaques (para adultos): o casal mais esquisito da autora. James e Winnie Dieke formam um casal perfeito, aparentemente. Ricos, jornalistas importantes e têm uma criança. Desde sempre o casal mantém uma mascara para manter a verdade sobre seus desejos escondido. Eles são extremamente medrosos quanto ao que isso pode causar e por isso vivem nas aparências.
Quando isso começa a ficar insuportável, ambos fazem uma aventura sexual fora do casamento. James transa com Amber, uma jornalista que trabalha com sua esposa e subiu de cargo plagiando um texto de Winnie. E falando nela, a loura resolve um dia trair seu marido com o melhor amigo dele, Tanner.
O final dessa história é surpreendente. Particularmente gostei mais dessa.
Platinada: Cecelia narra sua história em forma de diário. Não é aquela coisa chata de “Querido diário”, mas é iniciado de forma natural e muitas vezes engraçado.
Ela é uma ex pobre que se casa com o príncipe Hubert e se torna princesa. Mas essa história não se passa num castelo, até porque eles mantêm apenas o titulo. Moram em NY, num apartamento enorme com um cachorro fofo. E tanto em NY quanto em qualquer outro lugar Cecelia não pode ficar tranquila para sair na rua sem ser matéria de revistas e jornais que faturam muito sobre ela. Nunca quis ser famosa, mas agora não tem mais jeito.
Cecelia também é meio maluquinha. Acha que todos querem matá-la, que o marido sexy a trai...  Coisas estranhas realmente aconteceram e ainda acontecem. Estranhas e malucas como sempre.
Com essa história meio enjoativa descobri que não adianta fugir do que nascemos para ser.
Procedimento de solteira: essa quarta parte é curtinha e me lembrou muito o livro Sex and the City. Aqui conhecemos Minki, uma quarentona que esteve noiva por duas vezes, mas que não chegou ao altar porque nas duas vezes sofreu atentado de morte dos noivos. Agora a Nova-iorquina está em Londres para escrever uma matéria sobre homens e sexo e encontrar um amor verdadeiro (parece ou não com Sex and the City?). Mas para escrever a melhor a matéria ela recebe a instrução de tanzar com um cara ruim de cama e com pênis pequeno. É quando conhece Rory. Ele é meio gay. Não gosta de sexo com mulheres e tem umas manias no mínimo estranhas.
O final dessa também é bem legal. Gostei do que aconteceu com a Minki.
Então, essas são as quatro louras da história, que não se conhecem e que mantém um ritmo diferente para cada uma das quatro partes.
O livro vale a pena ser lido. Mas atenção, deve ser lido somente por pessoas que gostam de Chick-lit, assim como eu. Realmente gostei bastante das histórias que me causaram frouxos de risos.
PS: Janey Wilcox se destacou tanto, que o livro seguinte da autora foi Janey Wilcox, alpinista social. Essa provavelmente será a minha próxima aquisição para resenha.


Classificação:
Para a capa dou 7,0. Achei as cores apagadas e sem nada de atrativo.
O conteúdo fica com 8,0. Gostei bastante das histórias, mas como eu disse, quem vai gostar provavelmente serão os fãs de Chik-lit.
Diagramação merece 8,5. Páginas brancas e mais uma vez sem nada de atrativo. Mas as letras estão de bom tamanho.


Espero os comentários.
Boa semana e até a próxima.
;)




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar, Caçador(a)!
Volte Sempre!

Para postar links nos comentários, utilize o espaço correto:
1- Clique em Comentar Como:
2- Selecione a opção Nome/Url
3- Em nome, coloque o seu nome ou nick das redes sociais.
4 - Em Url, coloque o link do seu blog ou página das redes sociais.

Pronto, assim você comenta e ainda coloca os seus dados, sem fazer spam.

Para dúvidas, sugestões ou solicitação de informações, encaminhe email para: c.delivros@gmail.com

Caçadora de Livros. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design