9 de mai de 2012

Caça Autores: Roque Neto






“O fato de eu estar me formando em psicologia me ajuda a ter clareza do estilo de personalidade de cada um e me manter coerente dentro das possibilidades”, diz o autor.










Roque Neto
"Quem eu sou transparece naquilo que escrevo".

Em 1979, nascia em Esperantina, no Piauí, Roque Neto que, desde cedo, trazia dentro de si o desejo pelo conhecimento, demonstrando especial interesse pela leitura e escrita. Ainda bem jovem, aos 13 anos, teve seu primeiro texto publicado em uma revista, passando então a escrever e publicar seus artigos com regularidade. Mas não bastava… Em busca de dar continuidade aos seus estudos, mudou-se para São Paulo três anos depois. Todavia, sua jornada não pararia pelas terras paulistas: logo seguiu para Porto Alegre e depois para Brasília, de onde retornou para São Paulo.
Sua formação acadêmica inclui uma graduação em Filosofia, pós-graduação em Psicopedagogia e Gestão Escolar e ainda mestrado em Educação. Atualmente mora nos Estados Unidos, onde cursa Psicologia e segue com seu doutorado em Liderança Educacional em Saint Mary’s College of California.


1 – Quem é Roque Neto no cotidiano e Roque Neto, o autor?
Tento não fazer uma distinção entre “vida pessoal” e “vida profissional”. Esforço-me por manter uma coesão em minha identidade. Sou escritor, pesquisador, morando fora do pais, morrendo de saudades de minha família (especialmente dos meus sobrinhos), mas ao mesmo tempo construindo meu próprio caminho e procurando ser feliz a cada dia. E, de certa forma, quem eu sou transparece naquilo que escrevo... Por isto acho divertido ouvir os comentários dos amigos sobre meus livros. Sempre dizem que alguns personagens lembram certas etapas de minha vida...
Também posso dizer que sou um animador de trio elétrico frustrado (risos). Se tivesse talento para musica, acho que estaria dividindo palco com a Ivete. Pelo menos no banho, o palco e o repertório são apenas meus.

2 – Nos diz mais sobre o livro PORQUE EU AMEI.
PORQUE EU AMEI teve um longo tempo de gestação. Um ano antes de começar a escrevê-lo, ele já estava presente em minha mente. Personagens e situações surgiam e logo em seguida se escondiam em minha mente, até o momento em que finalmente parei para escrevê-lo, primeiro em inglês, depois em português.

3 – Quando surgiu a ideia de escrever o livro?
Em maio de 2009.

4 – Em nenhum momento teve medo da reação da Igreja Católica?
Venho de uma família católica. Por exemplo, tenho uma prima que é freira. Por isto mesmo, minha preocupação não foi tanto em relação à Igreja em si, mas em relação a estas pessoas que são importantes para mim e que seguem suas crenças com convicção e honestidade.
Apesar do risco, decidi que o ambiente da Igreja seria o melhor contexto para contar a historia de crescimento do Padre José Lucas. A Igreja Católica está tão presente no imaginário brasileiro que qualquer pessoa, mesmo que seja de outra religião ou ateia, consegue facilmente entender os símbolos da Igreja, o que facilita a compreensão da história.

5 – Onde buscou inspiração para escrever essa obra? Quais as literaturas usadas como referência?
Geralmente minha inspiração para escrever vem de músicas. No caso específico de PORQUE EU AMEI, o que me inspirou foi um trabalho para a faculdade. Tive que entrevistar alguns casais homossexuais sobre o modo como lidam com a violência e o preconceito. Estas entrevistas me permitiram ter um contato maior com o sofrimento causado pelo preconceito, especialmente o preconceito vindo da própria família.
Em termos de referências literárias, com certeza os textos de Lev Raphael, vários dos quais trazem um protagonista homossexual. As obras de Margaret Atwood me inspiraram na composição da estrutura do texto. E claro, Érico Veríssimo é minha inspiração a cada vez que componho uma sala, uma cozinha ou uma cidade.

6 – Como cada personagem foi construído?
Não tenho ideia de como cada um deles surgiu, mas depois que consegui “visualizá-los” fiz o esforço por manter uma coerência teórica em relação à personalidade e aos motivos de cada um. Por exemplo, Alice, a cozinheira, é pura emoção. Ela nunca pensa. Ela chora. Ela sorri. Ela abraça. Já a mãe do Padre José é dominadora... Ela nunca pede. Ela manda.
Neste sentido, o fato de eu estar me formando em psicologia me ajuda a ter clareza do estilo de personalidade de cada um e me manter coerente dentro das possibilidades.

7 – O que tem de você no livro?
Fico tentando a dizer “tudo”. Afinal o livro e fruto de minha criatividade... Entretanto, para ser específico diria, por exemplo, que esta alternância entre cidade do interior e os grandes centros urbanos é algo tão meu. Cresci em Esperantina/PI, mas já morei em tantos lugares sem jamais perder o carinho por minha cidade natal.

8 - A literatura brasileira e mundial tem a mesma qualidade de anos atrás?
Graças a Deus, não! Para cada tempo suas próprias necessidades e virtudes.

9 - Já está escalando personagens novos para algum futuro livro?
Haverá uma continuação não linear de PORQUE EU AMEI. Elisa Lucas retornara firme e forte! Mas o tempo terá passado e a realidade será outra bem diferente... Nesta continuação os leitores encontrarão respostas para as perguntas que não foram respondidas em relação ao Padre José Lucas. Entretanto, enquanto não encontro tempo para me dedicar a uma obra mais complexa, tenho trabalhado em uma coleção de livros infantis pela qual estou completamente apaixonado.

10 - Como foi a recepção da sua obra nos blogs literários?
Sou fã incondicional dos blogueiros e blogueiras. Elas e eles tem um desejo honesto de promover os autores brasileiros, coisa rara hoje em dia. Para mim não importa muito se o blogueiro que escreve a resenha de meu livro gosta ou não gosta do texto, o que me interessa são os motivos, pois apenas entendendo as razões do descontentamento posso melhorar meu trabalho.
A maioria dos blogueiros faz um trabalho incrível, mas também encontramos aqueles que ainda não conseguem articular uma crítica mais elaborada e ficam apenas no nível do “gostei” ou “não gostei”. Creio que seja um processo de aprendizagem e, por isto mesmo, mantenho a fé no trabalho deles e delas.
Sempre visito vários blogues, especialmente aqueles com que tenho parceria. 

Gostaram?
Esperando os comentários.
Até mais.
;)


Obs: Essa postagem é a 1ª de uma série de postagens sobre a promoção de aniversário do Roque Neto. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar, Caçador(a)!
Volte Sempre!

Para postar links nos comentários, utilize o espaço correto:
1- Clique em Comentar Como:
2- Selecione a opção Nome/Url
3- Em nome, coloque o seu nome ou nick das redes sociais.
4 - Em Url, coloque o link do seu blog ou página das redes sociais.

Pronto, assim você comenta e ainda coloca os seus dados, sem fazer spam.

Para dúvidas, sugestões ou solicitação de informações, encaminhe email para: c.delivros@gmail.com

Caçadora de Livros. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design