30 de abr de 2012

Resenha: A invenção de Hugo Cabret (Brian Selznick)



A-Invenção-de-Hugo-Cabret
Edições SM
ISBN: 978-85-7675-203-5
533 Páginas

Classificação:
Capa: 10
Conteúdo: 10
Diagramação: 9.5
Sinopse: Hugo Cabret é um menino órfão que vive escondido na central de trem de Paris dos anos 1930. Esgueirando-se por passagens secretas, Hugo toma conta dos gigantescos relógios do lugar: escuta seus compassos, observa os enormes ponteiros e responsabiliza-se pelo funcionamento da máquinas. A sobrevivência de Hugo depende do anonimato:ele tenta se manter invisível porque guarda um incrível segredo, que é posto em risco quando o severo dono da loja de brinquedos da estação e sua afilhada cruzam o caminho do garoto.Um desenho enigmático, um caderno valioso, uma chave roubada e uma homem mecânico estão no centro desta intrincada e imprevisível história, que, narrada por texto e imagens, mistura elementos dos quadrinhos do cinema, oferecendo uma diferente e emocionante experiência de leitura.
“Quando se termina de ler o livro mais lindo em todo o ano, não é um bom momento para resenha-lo.” Pensando nisso, quando terminei de ler a história de Hugo Cabret, fui dar um tempo para que meu cérebro parasse de gritar histericamente e eu pudesse fazer uma descrição do livro mais fiel e menos tiete. Veremos se consigo.

Hugo Cabret é uma criança que já passou maus bocados em sua vida. Ficou órfão muito cedo, quando seu pai morreu no incêndio de um grande museu, e teve que ir morar com seu tio alcoólatra, escondido em uma estação de trem em Paris. Hugo acabou sendo o responsável pelas grandes engrenagens dos relógios da estação. Sua família sempre foi ligada à arte da horologia, seu pai era um grande relojoeiro e apaixonado pela mecânica desses sistemas. Mas o jovem também era louco por essa arte, e quando seu pai, antes da morte, mostrou a ele um autômato – objeto de corda, como uma caixa de música ou um brinquedo, só que infinitamente mais complexo (pág. 141) – não imaginava que aquilo mudaria a vida do filho para sempre.

Quando li “A Breve Introdução” do livro já me apaixonei, por isso resolvi trazer ela integral para vocês:
A história que estou prestes a contar se passa em 1931, sob os telhados de Paris. Aqui, você conhecerá um menino chamado Hugo Cabret, que, certa vez, muito tempo atrás, descobriu um misterioso desenho que mudou a sua vida para sempre.
Mas antes de virar a página, quero que você se imagine sentado no escuro, como no inicio de um filme. Na tela, o sol logo vai nascer, e você será levado em zoom até uma estação de trem no meio da cidade. Atravessará correndo as portas de um saguão lotado. Vai avistar um menino no meio da multidão e ele começará a se mover pela estação. Siga-o, porque este é Hugo Cabret. Está cheio de segredos na cabeça, esperando que sua história comece.
Professor H. Alcofrisbas
O livro traz mais de 150 ilustrações lindíssimas, que, diferentes do comum, não tem a função de complementar o texto, mas de dar continuidade à história. As imagens são partes de tudo, como se de repente parássemos de ler e começássemos a assistir o que está sendo contado, pois o que está desenhado não será transformado em texto, mas tudo continuará a partir dali. É realmente encantador.
bibliotecaportaberta.blogspot.com Hugo cabret
Alguns desenhos do livro (Fonte)

Quando vi o livro pela primeira vez, achei que a sua aparência fosse como uma moldura, onde tudo será contado como em gravuras. Mas me enganei. Na verdade, é como em um filme e as cenas se sucedem em zoom maior ou menor, de acordo com o desenvolver da trama.

Sei que é errado achar que o livro que gostamos muito deveria ser lido por todo o mundo, mas mesmo assim não posso deixar de indicar o livro a toda e qualquer criatura que me pergunte qual o livro mais bonito que li em 2012, ou qual o livro que mais me emocionou.

Finalmente, o livro virou um filme dirigido por Martin Scorsese e ganhou cinco estatuetas do Oscar 2012. Enquanto eu lia o livro, ficava pensando “É por isso que aquele diretor tão texto censurado quis fazer esse filme”.

Estou louca para assistir, quem ai já viu?
A Invenção de Hugo CabretA-invenção-de-hugo-cabret


Vamos a Classificação dele?

A Capa é 10, já que carrega tanto mistério e depois de lermos o livro fica mais bonita ainda. E não posso deixar de comentar a lombada linda que ele tem, deixando a estante de qualquer um mais bonita.

O Conteúdo é 10, só porque não há nota maior que indique o quanto eu gostei.

A diagramação ficará com 9.5, já que o mundo não pode ser perfeito... Tudo é lindo, as letras, os desenhos, mas a capa sem orelhas e o material frágil usado pela editora faz qualquer um ter pena de manusear o livro. Tive que fazer uma proteção com papel contact para tentar manter a qualidade da capa.

Espero que gostem da resenha e, ao ler o livro, se apaixonem tanto quanto eu. 
Até semana que vem. =***


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar, Caçador(a)!
Volte Sempre!

Para postar links nos comentários, utilize o espaço correto:
1- Clique em Comentar Como:
2- Selecione a opção Nome/Url
3- Em nome, coloque o seu nome ou nick das redes sociais.
4 - Em Url, coloque o link do seu blog ou página das redes sociais.

Pronto, assim você comenta e ainda coloca os seus dados, sem fazer spam.

Para dúvidas, sugestões ou solicitação de informações, encaminhe email para: c.delivros@gmail.com

Caçadora de Livros. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design