28 de mar de 2012

Caça Autores: Markus Thayer



“Quando estou escrevendo eu estou em outro mundo”, diz o autor.
















Markus Thayer

“O Tempo é um papel em branco que pintamos com nossas melhores cores; é um presente para sentir-se bem e exercitar a felicidade”.


Markus Thayer é formado em Ciência da Computação e MBA em Controladoria. Sendo entusiasta por física teórica e mecânica quântica, dedica parte de seu tempo no estudo dessas ciências. E como o tempo é elástico, M. Thayer separa uma parte dele para cinema, música, leitura e outras grandes paixões, como escrever histórias de ficção e criar programas para computador.
Com seu primeiro livro publicado pelo selo Novos Talentos da Literatura Brasileira, Markus revela detalhes de como criou um livro que é absolutamente bom!
Por Alair Lemes


1 - Como foi o processo criativo de Hathor?

A ideia da história surgiu em 1995, quando assisti um documentário sobre genética. Nessa época, o livro foi parcialmente escrito. Depois foi engavetado até 2009, quando finalmente eu terminei a obra e publiquei.


2 - Hathor foi sua prioridade durante quanto tempo? Isso de certa maneira lhe privou de alguma coisa enquanto escrevia?

Comecei reescrever no meio de 2009, esse processo durou perto de quatro meses. Depois veio a fase de revisões, momento em que recebi uma inestimável ajuda de minha esposa e de minha filha. Por fim, foi a publicação que ficou pronta em outubro de 2010. Assim, o livro foi prioridade por mais de um ano.

3 - Muitos autores nacionais narram a histórias de seus livros em outro país. Porque decidiu fazer parte desse grupo começando a história do livro na Inglaterra? Qual o motivo de trazer os personagens para o Brasil? O tesouro não poderia estar lá?

O começo do livro aproveita o fato de muitos cientistas ingleses do século IXX terem viajado o mundo em busca de novos conhecimentos. Assim, essa era a atmosfera ideal para o inicio da história.
O tesouro estar no Brasil tem a ver com uma antiga lenda reverente a um portal místico existente na Serra do Roncador. Junta-se a isso a teoria de Terra Oca que, segundo a teoria, existiria uma entrada no meio da América do Sul.

4 - Cada personagem nasceu aos poucos ou a história estava completa com todos os personagens em sua mente quando a escreveu?

Normalmente, quando começo a escrever eu já tenho todo o escopo da história e seus personagens. Contudo, personagens costumam ter vida própria! Alguns são pensados para exercer uma determinada função, porém, devagarinho vão se impondo e crescendo na história.

5 - Sabemos que criar pode ser difícil ou não. Quis um dia jogar tudo para o alto?

Embora eu tenha engavetado Hathor por vários anos, nunca pensei em desistir da história. Foi muito divertido e agradável escrever e publicar o livro.

6 - Mudou muita coisa na história desde que começou a escrever?

Não, quando comecei a escrever já tinha tudo bem definido.

7 - Escritores com rituais para escrever tem muitos por ai. Você é do tipo? Precisa de café ou fazer algo antes de começar a escrever realmente?

Quando estou escrevendo, eu costumo dividir o trabalho em duas etapas. Primeiro mentalizo toda a cena, tudo o que vai acontecer, cenário, falas, sentimentos, expressões, etc. Essa tarefa eu faço nas minhas horas vagas, no transito, num shopping, etc. A segunda etapa é transformar em texto tudo que foi imaginado. Normalmente, a escrita costuma fluir bem em função da cena já estar toda pensada.

8 - O que distrai você enquanto escreve? Internet, celular, televisão...?

Não tenho muito problema neste sentido, pois, por causa do meu trabalho, eu desenvolvi um grande poder de concentração. Assim, quando estou escrevendo eu estou em outro mundo.

9 - Qual outro trabalho, além de escrever, você faz?

Eu trabalho com gerência e desenvolvimento de aplicações web corporativas e modelarem de banco de dados.

10 - Como foi à recepção da sua obra nos blogs literários? Você acredita que os blogs/sites literários são importantes para a divulgação da literatura nacional e internacional?

O livro Hathor foi recebido de forma maravilhosa pelos blogs e pelos leitores. O carinho e calor humano que o livro tem recebido excederam em muito às minhas expectativas. As pessoas, como é próprio dos brasileiros, tem sido amáveis, incentivadoras, carinhosas, colaboradoras, enfim tudo de bom!
Na minha opinião, os blogs tem exercido um importantíssimo papel na divulgação da literatura a nível mundial. Informações sobre qualquer obra estão a um click de distância. Isso se deve em grande medida aos excelentes trabalhos efetuados pelos blogs literários.


E para finalizar, o resultado da promoção dos marcadores autografados pelo autor. Os participantes da resenha de Hathor concorreram, porém a sortuda foi a:



8 – @K_Alencar
Pra receber seus marcadores, por favor, envie seus dados para o meu e-mail (alairjunioandrade@hotmail.com) em até 48h.
Obrigado a todos que participaram e comentaram.
O blog é de vocês!
Semana que vem volto com resenha.
;)


Um comentário:

Lilian Sinfronio disse...

Terminei de ler o livro hoje e preciso dizer, é LINDO ^^
Uma estória muito bem contada e amarrada. Meu ritmo de leitura foi bem lento, por motivos outros que não o livro, e considerando tudo isso foi muito bom, pq pude aproveitar bastante. A entrevista só me deixou mais feliz com o livro.

Alair, excelente entrevista, mais um presente para o 1 ano do CdL \o/

Bjus

Postar um comentário

Obrigada por comentar, Caçador(a)!
Volte Sempre!

Para postar links nos comentários, utilize o espaço correto:
1- Clique em Comentar Como:
2- Selecione a opção Nome/Url
3- Em nome, coloque o seu nome ou nick das redes sociais.
4 - Em Url, coloque o link do seu blog ou página das redes sociais.

Pronto, assim você comenta e ainda coloca os seus dados, sem fazer spam.

Para dúvidas, sugestões ou solicitação de informações, encaminhe email para: c.delivros@gmail.com

Caçadora de Livros. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design