29 de fev de 2012

Caça Autores: Ricardo Valverde






“Todos nós somos dotados de algum tipo de
talento capaz de realizar sonhos”, diz ele





Ricardo Valverde
“Existem livros sem prêmios, mas nunca existiriam livros sem leitores”.

Com sete livros publicados, o paulistano Ricardo Valverde, uma revelação da nossa literatura brasileira, continua escrevendo sem parar. O autor é dotado de versatilidade, além de escritor é ator e professor.
Por Alair Lemes


1 – Considerando os dois romances, como foi que teve a idéia de escrevê-los? Quanto tempo levou para escrever da primeira frase até a última?

Sou um apaixonado por Nostradamus desde os meus 17 anos de idade. Estudei sua vida, seus feitos e a maioria de suas profecias, o que me levou a conhecer outros povos e a estuda-los também. Conheci um pouco sobre a vida dos Maias, dos Egípcios, Índios Holpi, Essênios, Hindus e tantos outros. Em 2009, quando me senti pronto para escrever um romance, o assunto que tanto estudei veio à tona. Na verdade, ele veio ao meu encontro e os romances acabaram nascendo naturalmente. O primeiro livro, 2012 – O Menino que previu o Apocalipse começou a ser escrito no início de 2009. Entre os rascunhos, o desenvolvimento da narrativa e a viagem ao Egito e Roma para concluir meus estudos e contar com mais veracidade o dia a dia dos personagens, levando em conta os costumes e a cultura de seus povos, foram 9 meses. Enquanto o primeiro romance estava em processo de avaliação, eu iniciei o segundo livro. Ele teve o mesmo método de criação. Eu estive em Israel e da mesma maneira que fiz no primeiro romance, visitei todos os locais presentes no texto. Foram mais 8 meses até escrever a última frase e concluí-lo.

2 - Assim como J.K. Rowling fez com a série Harry Potter, você já tinha um projeto de continuação para o primeiro livro?

Sim. Na verdade, quando a história se desenhou em minha cabeça ela já se fez dessa forma, ou seja, em duas histórias que se entrelaçam por meio dos personagens, ambientes e profecias. Quando se fala em apocalipse, duas vertentes distintas e interligadas se abrem. A primeira diz respeito ao fim do mundo e a extinção ou não da humanidade, e todos os estudos, interpretações, profecias e especulações que envolvem essa visão. Esse é o assunto do primeiro livro, 2012 – O Menino que previu o Apocalipse, que é contado por um menino, Michael Alaor. A segunda é um complemento da primeira. Na realidade, ela só existe por que a primeira existe. Diz respeito à chegada ou retorno de um Ser Celestial (Cristo) às vésperas do final dos tempos. Toda especulação a respeito dessa segunda vertente fica por conta do que esse Ser viria fazer aqui. Se Ele retornaria ao nosso planeta para nos salvar do fim ou apaziguar a humanidade na passagem dessa vida para outra. Essa é a atmosfera do segundo romance, 2012 – O Segredo do Monte Negev, que é contado por Horácio, um Padre Franciscano, que no primeiro livro tem algumas pequenas, mas importantes passagens. O mais interessante disso tudo é que não se trata de uma continuação linear, tampouco temporal. As duas histórias correm de maneira paralela e se complementam. Tanto é assim que o primeiro romance começa em 2006 e o segundo em 2003. De certa forma o livro 2012 – O Segredo do Monte Negev “engorda” a obra e ajuda o leitor a entender o livro 2012 - O menino que previu o Apocalipse e vice-versa.

3 - Que tipo de mudança nos originais você fez para os livros serem publicados?

Não houve mudança. A Editora Novo Século aprovou os livros considerando minhas pesquisas e estudos a respeito do apocalipse, sobretudo por eu ter visitado todos os locais que ambientam os dois romances e o porquê de eu ter ido até lá.

4 – Já está escrevendo mais algum livro ou ainda está de férias e colhendo os frutos dos livros publicados?

Eu não consigo ficar parado (risos). Estou sempre produzindo, criando, escrevendo. Atualmente estou envolvido e mergulhado em três projetos. “O Doador de Sêmen” (romance), “Linha da Vida” (budista) e “O Guardião da Verdade” (contos humanistas).

5 – A internet é indispensável nos dias de hoje e tem gente que arrisca a dizer que não vive sem. Quais vantagens a internet dá ao escritor? Existe a desvantagem da mesma também?

A internet é um veículo de publicidade dos mais eficientes. Ela é rápida, gratuita e atinge um número muito grande de pessoas em poucos segundos. Em contrapartida, pode haver um excesso de exposição que vai além do conveniente.

6 – Você foi indicado para o Codex de Ouro 2011, mas ainda não ganhou nenhum prêmio. Para você os prêmios são importantes para o autor ou vale mais a satisfação dos leitores?

Existem livros sem prêmios, mas nunca existiriam livros sem leitores. E isso sim seria uma grande perda.

Indiscutivelmente, para um autor, a satisfação dos leitores é infinitamente maior do que qualquer prêmio. Eu diria até que é o seu verdadeiro alimento. Porém, não acredito que essas duas situações estejam desconectadas. Hoje em dia,a maioria das indicações a prêmios é fruto dessa satisfação e da repercussão de tal resultado. Confesso que fiquei muito feliz em ver meu livro entre os indicados ao Codex de Ouro 2011, mas quando presencio alguma citação de meu livro no facebook (por exemplo), quando sou abordado com alguma pergunta sobre ele ou algum comentário, eu realmente me dou conta de que posso ter feito um bom trabalho.


7 – Você é feito daquele tipo de talento capaz de fazer a diferença?

Todos nós somos dotados de algum tipo de talento capaz de realizar sonhos, conquistas e fazer alguma diferença para quem quer que seja, mesmo que por alguns poucos segundos. Tudo se resume e está ligado no modo como exercemos isso. Se você se dedicar de corpo, alma e coração naquilo que se propõe a fazer, se você ama algo a talponto de não conseguir respirar ao deixar de fazê-lo, a chance de que algo importante aconteça aumenta significativamente.

8 – É muito comum, as pessoas dizerem que ator e escritor não trabalham, isso por não conhecerem as profissões. O que a sua família pensa do seu trabalho como escritor? Exerce outra atividade além desta?

“Se não existissem os livros eu não teria nascido neste planeta”. Esta talvez seja a frase que meus pais e meus amigos mais me ouviram dizer. Desde pequeno sou apaixonado pelas palavras, páginas, capas e até pelo cheiro dos livros. Quando minhas ações, sonhos e aspirações me levaram para a literatura, eles fizeram questão de mostrar que estavam ao meu lado. Minha família e meus amigos sempre me apoiaram e o fazem até hoje. E eu sou muito grato a isso. Além de escrever sou ator de Teatro Clown e professor. Trabalho com pessoas com Deficiência Intelectual em processo de envelhecimento. Uma atividade que também me traz muita satisfação e prazer.

9 – Está lendo algum livro?
Claro! Não fico sem ler um único dia. Acabei de ler “As Esganadas”, do Jô Soares. Atualmente estou devorando mais um livro do incrível Harlan Coben, “Não conte a ninguém”.

10 - Você acredita que os blogs literários são importantes para a divulgação da literatura nacional e internacional? Como avalia a sua recepção?

Os Blogs literários assumiram um papel muito importante na divulgação de obras, de autores e editoras. Mas, creio que o maior benefício que eles trouxeram para o cenário literário, em geral, foi o encurtamento e o estreitamento entre autores e leitores. Isso é fundamental!

E para finalizar, o resultado da promoção dos marcadores autografados pelo autor. Os participantes da resenha 2012 O Menino que Previu o Apocalipse estavam participando, porém a sortuda foi a:

7 - Rejane do blog Tapete dos Sonhos.
Pra receber seu livro, por favor envie seus dados para o meu e-mail (alairjunioandrade@hotmail.com) em até 48h.
Obrigado a todos que participaram e comentaram
Semana que vem volto com resenha.
;)




8 comentários:

Kézia Lôbo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Kézia Lôbo disse...

Nossa ele é um autor cabeção hein...
Confesso que não o conhecia e nem sua obras e agora estou super curiosa!!
Parabens pela entrevista! Perguntas super legais e repostas otimas do autor!

Lilian Sinfronio disse...

Eu também amei a lindura da entrevista com esse autor que me era desconhecido, mas que tenho que ler ainda em 2012 xD
Ele pareceu bem simpatico e teve muito carinho nas excelente perguntas.
Ótimo mesmo Alair ^^

Bjão.

♥ Paty ♥ disse...

Excelente entrevista, eu não conhecia esse autor, mas gostei muito do assunto do livro e principalmente saber que ele visitou os lugares citados no livro.Beijos

http://leiturasdepaty.blogspot.com

Mireliinha disse...

Que simpatia! *-*
Adorei a postagem!

:*
Mi
Inteiramente Diva

Thaís Cavalcante disse...

Oi!

Bom, desculpa estar mandando este comentário, mas é que com esta mudança do GFC, acabou sumindo meu gadget antigo e gostaria muito que você me seguisse novamente para não perdermos os contato, o que acha? (:

Um beijão,
Pronome Interrogativo.
http://www.pronomeinterrogativo.com

Soninha Senra disse...

gente parabensss pela entrevista !! ameiii ... o ricardo é sem duvida um talento unico ... e com certeza tem muito a nos acrescentar .. bjinhos

Jordana Broering disse...

Achei muito boa a entrevista. O livro parece ser muito bom, a história é bem interessante.

Beijinhos

Postar um comentário

Obrigada por comentar, Caçador(a)!
Volte Sempre!

Para postar links nos comentários, utilize o espaço correto:
1- Clique em Comentar Como:
2- Selecione a opção Nome/Url
3- Em nome, coloque o seu nome ou nick das redes sociais.
4 - Em Url, coloque o link do seu blog ou página das redes sociais.

Pronto, assim você comenta e ainda coloca os seus dados, sem fazer spam.

Para dúvidas, sugestões ou solicitação de informações, encaminhe email para: c.delivros@gmail.com

Caçadora de Livros. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design