9 de jan de 2012

Resenha: Trapo (Cristovão Tezza)

Ed. BestBolso (Vira-Vira)
ISBN:978-85-7799-339-0
238 Páginas

Classificação:
Capa: 8.0
Conteúdo: 10
Diagramação: 6.0

Sinopse: Um rígido professor aposentado recebe inesperadamente mil páginas inéditas do poeta Trapo, um jovem solitário, apaixonado e suicida. Enquanto organiza o material, o professor vai gradualmente se envolvendo com as pessoas ligadas a Trapo.




Após a experiência de conhecer o autor, com sua forma diferente e gostosa de levar o leitor a odiá-lo, através das linhas de O Filho Eterno (leia aqui), virei o livro e iniciei a leitura de Trapo – pois é um volume vira-vira. Essa leitura é muito mais fluida, consegui aprender o que o autor queria me dizer ainda no começo do livro – mas sem perder o interesse no desenrolar dos acontecimentos. Percebi que aquela seria a briga entre duas figuras de gerações literárias distintas, dois opostos duelando, cada um ao seu momento, tendo a oportunidade de defender sua capacidade e talento.


O Professor Manuel é um respeitável professor universitário aposentado, viúvo de longa data, sem grandes atrativos ou ambições. Um homem que gosta de rotina, e que irá ligar todos os alarmes internos ao receber a inconveniente visita de Izolda Petroski em sua casa. Ela irá lhe confundir, lhe encher de desconfiança ao trazer dois grandes pacotes amarrados de qualquer jeito.

Ridículo: um respeitável professor aposentado, bêbado, em companhia de uma mulher duvidosa, alta madrugada, de cócoras diante de dois pacotes de papel recheados de pornografia de um poeta menor (Página 58) 

Ao me deparar com o título do livro cheguei a achar que “Trapo” seria uma denominação simbólica de uma sociedade ou pessoa, ou conjunto de fatores que o autor iria tratar ao longo do livro, mas a surpresa foi grata: Trapo é o segundo narrador, jovem, típico rebelde, escritor verborrágico, apaixonado pela bela Rosana.

Essas características, e outras mais interessantes, vão sendo descobertos ao longo dessas duas histórias – em primeira pessoa através do Professor e através dos escritos de Trapo e suas memórias. Izolda é uma outra personagem conflituosa de Tezza, uma dona de pensão brega, vulgar, caricata, mas com um bom coração, princípios e honestidade.

Manuel e Paulo – ou Trapo, como preferir – duas descrições deliciosas do que poderia ser uma mesma pessoa, se um não fosse tão correto e o outro revoltado poeta beberrão. Eu preferi o Professor Manuel, por me identificar com ele, seu jeito rabugento, eu e ele nascemos velhos. Rs.

Divago por conta própria. Trapo me atrai. Nunca vi jamais ninguém tão oposto ao que fui e ao que sou. (Página 68)

É gostoso sentir como Tezza nos mostra os sentimentos nobres, mas também a inveja, rancor e todos os sentimentos baixos dos seus personagens com a mesma fidelidade. É um livro que, quando você se acostuma aos dois narradores, fica a impressão que os próximos acontecimentos são o mais óbvio que poderia acontecer, uma vivência madura e gostosa.

Tive a sorte de começar 2012 com duas leituras tão gostosas, Tezza me encantou e pretendo continuar a descobrir as suas obras nesse ano.

A Classificação?
A Capa é 8.0, pois merecia um tom de agressividade de Trapo e da chatice do Professor Manuel.
O Conteúdo é 10, porque (novamente) não poderia ser diferente para o autor.
A Diagramação é 6, porque acho que a BestBolso poderia nos presentear com umas folhas mais bem preparadas, mesmo sendo de bolso.



Gostaram? Não gostaram? Me digam nos comentários.
=*






7 comentários:

Rodolfo Euflauzino disse...

uauuuuu... resenha sensacional... quero este livro pra mim! se o conteúdo é 10, já me basta.

Débora disse...

Oi Lilian!
Adorei a resenha! Eu li O filho eterno por conta do vestibular que fiz, e não me arrependo!
Cristovão Tezza é um ótimo escritor!
Agora fiquei curiosa para ler esse livro!
Obrigada por me apresentar a ele!

Beijos, boas leituras, até mais.
enfimdeasasabertas.blogspot.com

Caçadora de Livros disse...

Simplesmente quero conhecer Tezza.
As duas resenhas demonstram que o livro vira-vira é bom! ^^
Parabéns pela resenha flor.
bjs

Anônimo disse...

Boa resenha!
E ainda melhor por não ser um livro tão conhecido.

Lorrine Leite disse...

Não conhecia o autor, mas se o conteúdo é 10 vou guardar a sugestão.
parabéns pela resenha!


saocoisasdesiguais.blogspot.com

Ilmaralina disse...

Li, eu adorei a resenha mais que o livro! Realmente os livros poderiam ter um acabamento melhor sim, mas a história me pareceu bem envolvente. Neste momento eu não sei se a leria, mas achei uma boa pedida. Bjos!

Jordana Broering disse...

Adoro os livros do Cristovão Tezza. São muito lindos e prendem a atenção. Super recomendo.

Beijinhos

Postar um comentário

Obrigada por comentar, Caçador(a)!
Volte Sempre!

Para postar links nos comentários, utilize o espaço correto:
1- Clique em Comentar Como:
2- Selecione a opção Nome/Url
3- Em nome, coloque o seu nome ou nick das redes sociais.
4 - Em Url, coloque o link do seu blog ou página das redes sociais.

Pronto, assim você comenta e ainda coloca os seus dados, sem fazer spam.

Para dúvidas, sugestões ou solicitação de informações, encaminhe email para: c.delivros@gmail.com

Caçadora de Livros. Todos os direitos reservados.©
Design e codificação por Sofisticado Design